Randolfe aciona Polícia Legislativa após ameaça de empresário bolsonarista

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) acionou a Polícia Legislativa do Senado nesta quarta-feira após ser ameaçado por um dono de uma rede de postos no Amapá, seu estado. Pelas redes sociais, o empresário, que declara ser apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), afirma que pretende agredir o parlamentar fisicamente e faz ofensas de cunho homofóbico. O senador também deve representar criminalmente contra o empresário.

Veja também: Mourão diz que protestos são 'catarse coletiva' e que Bolsonaro 'deveria' entregar faixa presidencial

TSE: Moraes diz que argumentos da ação do PL sobre urnas são 'falsos', aplica multa de R$ 22,9 milhões e determina investigação de presidente do partido

— Ô, gazela, eu vou te avisar uma coisa: o dia que eu me encontrar contigo e tu falar para mim 'perdeu, mané', tu vai cair na porrada. Vagabunda, nojenta – disse o empresário bolsonarista em um vídeo publicado no Instagram no sábado, dia 19.

Na semana passada, o senador discutiu com um bolsonarista no Aeroporto do Cairo, no Egito, onde esteve para participar da COP-27, a cúpula do clima das Organização das Nações Unidas (ONU). Ao ser hostilizado, Randolfe responde “perdeu, mané”, em uma referência à fala do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, ao ser cercado por bolsonaristas em Nova York (EUA).

Leia: Coordenador de Comunicação da PRF anuncia operação para prender lideranças golpistas e depois recua

Transição: Grupo da Defesa contará com ex-comandantes das Forças Armadas, diz Mercadante

Nesta quarta-feira, o empresário publicou uma foto nos stories deitado em um matagal e segurando uma arma. “Não passa uma gazela”, escreveu Julio Farias, que nas redes sociais exibe fotos em manifestações em apoio a Bolsonaro, clube de tiros e policiais.