Randolfe, Guimarães e Jaques Wagner: Quem são os líderes de governo de Lula

Presidente eleito anunciou nomes que vão representar governo no Congresso, Câmara e Senado

Lula anunciou últimos ministros e líderes do governo (Foto: Reprodução)
Lula anunciou últimos ministros e líderes do governo (Foto: Reprodução)
  • Senador pelo Amapá, Randolfe Rodrigues vai representar governo de Lula no Congresso Nacional;

  • O deputado cearense José Guimarães será porta-voz da gestão petista na Câmara; parlamentar já teve nome envolvido no caso do Mensalão;

  • Jaques Wagner será líder do governo no Senado. Ele já governou a Bahia e chefiou quatro ministérios em governos petistas.

Além da última leva de ministros, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), presidente eleito, anunciou nesta quinta-feira (29) os nomes dos líderes de governo dele no Congresso Nacional, na Câmara Federal e no Senado. São eles: o senador Randolfe Rodrigues (Rede-Amapá), o deputado federal José Guimarães (PT-CE) e o senador Jaques Wagner (PT-BA), respectivamente.

Quem são as lideranças?

Congresso Nacional

O senador Randolfe Rodrigues ganhou maior notoriedade ao ser vice-presidente da CPI da Covid, em 2021, que investigou as possíveis ações e omissões do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) no enfrentamento da pandemia e o colapso da saúde no estado do Amazonas no começo daquele ano.

Neste ano, ele foi um dos principais aliados de Lula na corrida presidencial vitoriosa.

Randolfe chegou a ser cotado para o Ministério do Meio Ambiente, que será ocupado pela correligionária dele, Marina Silva (SP). O parlamentar já passou pela Câmara e tem mandato como senador até 2027.

Câmara dos Deputados

O deputado federal José Guimarães acumula mandatos desde 2007. É irmão do ex-presidente do PT José Genoino. Foi um dos coordenadores da campanha petista e ocupou a liderança do governo de Dilma Rousseff (PT).

Guimarães teve o nome envolvido no caso do Mensalão, em 2005, quando o chefe de gabinete dele, José Adalberto Vieira, foi preso no aeroporto de Congonhas (SP) com US$ 100 mil escondidos na cueca.

O portal g1 lembrou que o Ministério Público Federal (MPF) apresentou uma denúncia ligando o dinheiro a propina em contratos do consórcio Sistema de Transmissão do Nordeste e do Banco do Nordeste. Contudo, o caso prescreveu em 2021 sem que a participação dele fosse comprovada.

Senado

Veterano nos ministérios de governos petistas, Jaques Wagner já foi deputado federal pela Bahia e governou o estado por dois mandatos seguidos. Em 2018, foi eleito para o Senado, onde tem assento garantido até 2026.

Amigo de Lula há mais de 40 anos, Wagner tem no currículo quatro passagens como ministro, nas pastas do Trabalho (2003-2004), Secretaria de Relações Institucionais (2005-2006), durante os mandatos de Lula, e Defesa (2015) e Casa Civil (2015-2016), da gestão de Dilma.