Randolfe quer investigação de ministro do TCU que insinuou golpe militar

Randolfe Rodrigues anunciou as medidas em seu Twitter (Andressa Anholete/Getty Images)
Randolfe Rodrigues anunciou as medidas em seu Twitter

(Andressa Anholete/Getty Images)

  • Randolfe Rodrigues afirma que irá tomar providências legais contra Augusto Nardes;

  • Ministro do TCU fez insinuações de que o Brasil irá sofrer um golpe militar;

  • Ele afirma, em áudio, que existe um "forte movimento nas casernas brasileiras".

O senador Randolfe Rodrigues (Rede) declarou nesta segunda-feira (21) que irá tomar providências legais contra o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, que insinuou em áudio que o Brasil sofreria um golpe militar.

Nas redes sociais, Randolfe escreveu que irá pedir ao TCU a aposentadoria compulsória ou disponibilidade do ministro devido à eventual “violação disciplinar”.

Além disso, declarou que irá solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a instauração de inquérito policial “por possível crime contra a ordem democrática” e fazer uma denúncia, também ao STF, “requerendo a perda do cargo e suspensão dos direitos políticos”.

Ele concluiu destacando que não serão permitidos ataques à democracia.

Anteriormente, o deputado federal Paulo Teixeira (PT) já havia anunciado que iria apresentar um requerimento para que Nardes seja convocado a dar explicações ao Congresso Nacional.

“Movimento forte nas casernas”

Em áudio enviado a amigos do agronegócio, Augusto Nardes afirma que “está acontecendo um movimento muito forte nas casernas brasileiras” – alojamentos onde ficam os soldados – e que "é questão de horas, dias, no máximo, uma semana, duas, talvez menos do que isso", para um "desenlace bastante forte na nação, [de consequências] imprevisíveis, imprevisíveis".

Conforme divulgado pela coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, Nardes afirma aos colegas que não pode falar muito, mas que “conhece todos os líderes” do suposto movimento.

Ele ainda destaca que Jair Bolsonaro (PL) não está bem de saúde no momento, mas que em breve “terá condições de enfrentar o que vai acontecer no país”.

Durante a conversa, o ministro diz que o atual presidente “despertou a sociedade conservadora e hoje todo mundo está nas ruas fazendo a defesa desses princípios”.

Ele também relembra quando liderou uma frente para atender demandas dos ruralistas no governo Fernando Henrique Cardoso (FHC) e, como presidente do TCU, o processo de rejeição das contas do governo de Dilma Rousseff, base para o impeachment da então presidente da República.

"Tudo [está] muito nebuloso em relação ao futuro do país", afirma.

O que diz Augusto Nardes

À coluna de Bergamo, o ministro confirmou que o áudio é dele, mas que estava em “uma conversa privada”. Aponta ainda que sua intenção não foi criar "nenhum tipo de tumulto", mas sim fazer uma análise "dentro da democracia e da liberdade de expressão".

Ele ainda destaca que, ao falar sobre o movimento nas casernas, se referia aos atos de bolsonaristas em frente aos quartéis, e não a um movimento dentro das Forças Armadas.

Por fim, Nardes disse que reconhece a vitória de Lula e que pretende procurar o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) e o petista Aloizio Mercadante (PT), da transição de governo, para conversar sobre "governança".