Randolfe Rodrigues defende início imediato da CPI da Pandemia

Paulo Cappelli
·1 minuto de leitura

Autor do requerimento para instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) defende que as atividades comecem de forma remota até que os índices de contaminações pela Covid-19 sejam reduzidos. Segundo o senador, " se é possível o funcionamento remoto do STF e do Ministério Público, por que não da CPI?". A forma de trabalho da CPI está no centro de um duelo entre a oposição, que quer o início imediato dos trabalhos, e a base aliada do governo, que defende que a comissão só pode funcionar presencialmente, como forma de tentar ganhar tempo e adiar o início das investigações.

A CPI pode funcionar de forma remota?

A tecnologia colocou meios à nossa disposição para que, em uma circunstância como a que vivemos, a vida não fosse paralisada. Ora, se é possível funcionamento remoto do Senado, e quando reduzir nível de contaminação, o funcionamento semipresencial... Se é possível o funcionamento remoto do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal de Justiça, do Ministério Público, por que não seria possível funcionar uma comissão parlamentar de inquérito? Se a lógica de que é inviável ter CPI triunfasse, todos os inquéritos no Brasil teriam que ser paralisados. Isso não tem lógica.

(Confira aqui a matéria na íntegra para assinantes)