Ranking mostra as melhores cidades para se viver no pós-pandemia. Confira a lista

Está à procura de uma mudança de cenário, mas o coração ainda balança pelo burburinho da vida urbana? Tem alguma ideia de que lugar no mundo gostaria de chamar de lar? Se a mais recente classificação das melhores cidades para se viver serve de guia, provavelmente deve começar a buscar na Europa Ocidental ou no Canadá.

ECA Internacional: Com litro de gasolina a R$ 15, Hong Kong é cidade mais cara para expatriados. Na outra ponta, Teerã tem combustível a R$ 0,44​

Bondade: Governo decide criar 'PIX caminhoneiro' de R$ 1 mil e elevar Auxílio Brasil para R$ 600 a menos de quatro meses da eleição

Com a Covid virando apenas uma lembrança em alguns lugares do mundo, o índice de habitabilidade global de 2022, medido pela Economist Intelligence Unit (EIU), está muito parecido com os dias pré-pandemia.

Notes: Twitter testa nova ferramenta que permite textos de até 2.500 palavras

A capital austríaca Viena recuperou o primeiro lugar no ranking, posto que ocupava há três anos antes de cair para 12º lugar em 2021 devido ao fechamento de museus e restaurantes afetados pela Covid. A cidade superou Copenhague graças a uma classificação maior na área de saúde. Zurique, na Suíça, Calgary e Vancouver, no Canadá, completam o top 5.

As únicas cidades não europeias ou canadenses listada entre as dez primeiras do ranking foram Osaka, no Japão, e Melbourne, na Austrália, que empataram no 10º lugar.

Nos últimos lugares da lista de 173 países estão Trípoli, na Líbia, a cidade nigeriana de Lagos e Damasco, na Síria.

Veja quais: ANS inclui três procedimentos na lista de cobertura obrigatória de planos de saúde

“Nos últimos dois anos, os rankings globais de habitabilidade da EIU foram em grande parte impulsionados pela pandemia de Covid-19, com bloqueios e medidas de distanciamento social afetando as pontuações para cultura, educação e saúde em cidades de todo o mundo”, diz o relatório. "No entanto, em nossa pesquisa mais recente, o índice normalizou, uma vez que as restrições foram levantadas em muitos países."

Outras cidades australianas e da Nova Zelândia não foram bem, segundo o estudo. Ambos os países se beneficiaram com o fechamento das fronteiras no início de 2021, o que manteve o número de casos de Covid em baixa. Mas foram atingidos em cheio pelas variantes mais infecciosas, o que interrompeu a vida normal.

Wellington e Auckland passaram do 46º e 33º lugares, respectivamente, para as maiores quedas da lista.

Decisão: Justiça do Rio determina que Netflix deixe de usar tecnologia de alta definição

Entre as que mais se moveram na direção oposta estão Londres, que avançou 27 lugares para ocupar o 33º posto, e Los Angeles, que subiu 18 lugares, passando a figurar na 37ª posição.O

O informe ressaltou que a China ainda não havia se beneficiado da suspensão das restrições causada pela Covid uma vez que novos surtos resultaram em fechamentos mais estritos. A invasão da Ucrânia pela Rússia culminou na exclusão de Kiev da lista.

Estratégia: Google e NBCUniversal são os principais candidatos a parceiros da Netflix em 'streaming' com publicidade

Segundo o relatório da EIU , as cidades foram classificadas com base em mais de 30 fatores qualitativos e quantitativos em cinco categorias gerais: estabilidade, saúde, cultura, meio ambiente, esducação e infraestrutura.

Confira o top 10 das melhores cidades

Vienna, Áustria

Copenhague, Dinamarca

Zurique, Suíça

Calgary, Canada

Vancouver, Canadá

Genebra, Suíça

Frankfurt, Alemanha

Toronto, Canadá

Amsterdã, Holanda

Osaka, Japão

Melbourne, Austrália

Confira as dez piores cidades

163) Teerã, Irã

164) Duala, Camarões

165) Harare, Zimbábue

166) Dakar, Bangladesh

167) Port Moresby, Papua Nova Guiné

168) Karachi, Paquiatão

169) Argel, Argélia

170) Tripoli, Líbia

171) Lagos, Nigéria

172) Damasco, Síria

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos