Rashford, do Manchester United, volta a pressionar governo por refeições a famílias carentes: 'Inaceitável'

·1 minuto de leitura

O governo do Reino Unido abriu uma investigação sobre as refeições distribuídas a famílias carentes na última semana. As críticas à cesta de de alimentos vieram de famílias e ganharam coro do atacante Marcus Rashford, do Manchester United. O jogador conversou com o primeiro ministro britânico, Boris Johnson, nesta quarta-feira.

"Acabei de ter uma boa conversa com o primeiro ministro. Ele me garantiu que está comprometido com a correção do problema do fornecimento de alimentos e que uma ampla revisão está sendo feita. Ele concorda que as imagens das cestas divulgadas no Twitter são inaceitáveis", postou o atacante em seu perfil no Twitter.

Rashford foi uma das principais vozes na campanha pelo fornecimento de alimentação às crianças carentes da região enquanto as escolas permaneceram fechadas devido à pandemia do novo coronavírus — elas voltarão a fechar após o novo lockdown decretado pelo governo.

O camisa 10 foi ao Twitter, na última segunda-feira, e postou fotos das cestas.

"Três dias de comida para uma família. Isso é inaceitável", criticou em uma das postagens. "As crianças merecem coisa melhor", pediu o atacante.

As principais críticas das famílias centram-se na baixa quantidade de alimentos e na falta de ingredientes necessários para o preparo de refeições. A fornecedora de alimentos, Chartwell, divulgou comunicado nesta quarta-feira pedindo desculpas e prometendo reembolsar o valor gasto no caso de refeições que 'não atingiram o alto padrão'.