Rastreador em mala de luxo levou polícia até dupla que roubou R$ 16 milhões em joias de brasileira, na Paris Fashion Week

Um geolocalizador escondido em uma mala de luxo da Louis Vitton levou a polícia francesa até a dupla de irmãos responsáveis por roubar R$ 16 milhões em joias de uma executiva brasileira, em setembro. Eles foram presos nesta segunda-feira. O crime aconteceu quando a vítima, diretora de uma empresa de cosméticos, havia acabado de chegar à capital francesa e estava presa em um engarrafamento, com destino a Paris Fashion Week.

Entenda: Brasileira tem joias estimadas em 3 milhões de euros roubadas ao ir na Paris Fashion Week

Lista: Marilyn Monroe: carta do pai biológico da atriz que foi reconhecido este ano está entre os 175 itens que serão leiloados

Segundo o jornal Le Parisien, a captura foi feita graças a um geo-localizador escondido em uma das bagagens roubadas pela dupla, enquanto o táxi da brasileira, um Mercedes Vito, estava preso em um engarrafamento na autoestrada A1, após deixar o aeroporto Charles-de-Gaulle.

Por volta da 10h30, os irmãos quebraram as janelas do carro e roubaram as bolsas, avaliadas em € 40 mil (R$ 223 mil), e uma mala da Louis Vitton, com mais de € 3 milhões (R$ 16 milhões) em joias. A dupla deixou a cena do crime em uma scooter TMax. Ninguém ficou ferido.

No momento, a brasileira estava acompanhada de três assistentes. Ela ainda não teve sua identidade revelada. O caso é investigado pelo Ministério Público de Bobigny, e as autoridades ainda não sabem determinar se o crime foi premeditado.

O geolocalizador levou a polícia até Saint Denis, onde as autoridades conseguiram identificar onde a scooter estava estacionada. Nesta segunda-feira, foi deflagrada a operação que prendeu os dois irmãos, de 27 e 34 anos. A prisão foi feita pela Brigada de Repressão ao Banditismo.

Segundo a polícia, os dois tem passagens criminais. O irmão mais velho já se envolveu em crimes de sequestro, roubo e associação criminosa. O mais novo, por sua vez, tem passagens relacionadas ao tráfico de drogas.

Ataques a carros saindo de aeroportos de Paris se tornaram uma prática recorrente. A dupla presa nesta segunda-feira, por exemplo, é suspeita de outro caso semelhante ocorrido há duas semanas. No episódio, um taxista foi espancado e os ladrões levaram US$ 9 mil.