Rato morde criança no pátio de escola em Vila Velha (ES)

Rato em um muro baixo na praça da torre Saint Jacques em Paris. (Foto: Getty Creative)
Rato em um muro baixo na praça da torre Saint Jacques em Paris. (Foto: Getty Creative)

O estudante Ryan Carlos de Souza, de 9 anos, foi mordido por um rato na escola em que estuda, em Vila Velha (ES), na quarta-feira (27). O menino estava sentado no pátio quando o roedor entrou em sua bermuda e mordeu na parte de trás da coxa. As informações são do G1.

A mãe da criança Iara Brito foi chamada pela escola e quando soube do incidente, levou o filho para um postinho de saúde da cidade. O menino passou por uma avaliação médica e foi liberado sem ser medicado.

Brito não concordou com a atitude do médico e resolveu então procurar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Riviera da Barra. No local, uma médica prescreveu soro antirrábico para Ryan.

Entretanto, a criança ainda não foi medicada porque a família não encontrou o soro em nenhum posto de saúde da cidade. De acordo com relato da mãe, a ferida causada pela mordida têm piorado desde quarta-feira (27).

Em entrevista ao G1, o médico veterinário Breno Salgado, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), disse que a chance de um rato transmitir raiva é muito pequena. De acordo com ele, a doença mais comum transmitida pela saliva do animal é a chamada de febre por mordida de rato.

O garoto ainda tem receio de retornar à escola. Segundo a mãe, outros pais estão com medo de que os filhos também passem pela mesma situação dentro do colégio.

Secretaria lamenta ocorrido

Em nota ao G1, a Secretaria de Educação de Vila Velha lamentou o episódio e afirmou que “o aluno recebeu atenção pedagógica e médica assim que o fato, extremamente incomum, aconteceu”.

De acordo com a pasta, o colégio recebeu um serviço de desratização neste mês e havia previsão de uma nova ação em outubro deste ano. Porém com o ocorrido, a secretaria resolveu pedir o adiantamento do serviço para a empresa responsável.

A nota também explica que as ruas ao redor da escola também são contempladas no serviço de desratização.

A Secretaria de Saúde do município declarou que as diretrizes do Ministério da Saúde apontam que roedores urbanos como ratos são animais de "baixo risco de transmissão de raiva e que por isso não é necessário indicar tratamento profilático com soro e/ou vacina da raiva em caso de acidentes causados por eles”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos