Reações cautelosas à saída do primeiro navio com cereais da Ucrânia

As reações à saída do primeiro navio carregado de cereais do porto ucraniano de Odessa foram cautelosas.

A União Europeia manifesta satisfação e diz que é um primeiro passo para atenuar a escassez alimentar global.

Peter Stano, Porta-voz da Comissão Europeia para os assuntos externos diz: "Este é o primeiro navio comercial a deixar o porto do Mar Negro da Ucrânia desde a agressão russa não provocada a 24 de fevereiro e o bloqueio das exportações de cereais e portos ucranianos. E este é um primeiro passo bem-vindo para mitigar a crise alimentar global, que foi reforçada pela agressão ilegítima da Rússia e pelo bloqueio dos portos ucranianos, para além da destruição dos campos na Ucrânia pelas minas".

Apesar da boa notícia, ambas as partes continuam a ter dúvidas sobre a implementação total do que foi acordado. Dmitry Peskov, secretário para a imprensa de Vladimir Putin e porta-voz do Kremlin, afirmou: "Na verdade, a saída do primeiro navio é muito positiva. Uma boa oportunidade para testar a eficácia dos mecanismos que foram acordados em Istambul. Esperemos que os acordos sejam implementados por todas as partes e que o mecanismo funcione eficazmente".

Os cereais da Ucrânia estão bloqueados desde o início da guerra desencadeada pela Rússia. Os acordos preveem, por um lado, um corredor seguro para a saída dos navios ucranianos transportando cereais dos portos de Odessa, Chornomorsk e Yuzhny, num processo totalmente controlado pela Ucrânia e respetivos parceiros internacionais. Por outro, a circulação segura de barcos russos exportando cereais e fertilizantes pelo Mar Negro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos