Reabertura do Rio: confira os pontos do esboço do decreto estadual que permite funcionamento de shoppings e comércio a partir do dia 8

Tatiana Furtado
No calçadão de Copacabana, pedestres e ciclistas aproveitaram o dia para se exercitar ao ar livre

RIO - Em reunião na manhã desta segunda-feira, o governo do Rio de Janeiro vai voltar a discutir medidas para a reabertura gradual das atividades econômicas do estado a partir do dia 8 deste mês. Os principais pontos do novo decreto, que mantém a situação de emergência, já foram esboçados no documento que o governador Wilson Witzel deve assinar ainda esta semana, mas ainda podem sofrer alterações. Entre eles estão a reabertura de shoppings, centros comerciais e lojas de rua, com horários e protocolos determinados e permissão para atividades ao ar livre, incluindo em praias, lagoas, rios e piscinas públicas. O uso de máscara será obrigatório em todo os estabelecimentos e nas ruas, com exceção de pessoas com problemas respiratórios e com deficiência severa nos membros superiores mediante comprovação.

O esboço do decreto mantém a suspensão até o dia 21 de junho de eventos com público (jogos de futebol, shows, festas e passeatas, cinema, teatro, e afins); aulas presenciais e academias de ginástica.

Também fica suspenso pelo menos até o próximo domingo, o transporte intermunicipal entre a região metropolitana e a capital do estado, com exceção de trens e barcas que atendam atividades essenciais. Assim como o transporte de passageiros por aplicativo.

A aplicação das medidas estabelecidas é uma recomendação às prefeituras, mas, cada uma delas, tem autonomia para fazer seu próprio decreto.

Confira os principais pontos:

Suspensão até o dia 7/6

Shoppings, centros comerciais e similares (com exceção de hospitais, clínicas, laboratórios e estabelecimentos similares dentro destes locais);Circulação de transporte intermunicipal entre a região metropolitana e a capital (com exeção de trens e barcas que atendam atividades essenciais);Circulação de transporte intermunicipal regular, de fretamento e complementar entre a região metropolitana e a capital;Transporte de passageiros via aplicativo entre a região metropolitana e a capital;Bares, restautantes e similares apenas com 30% da capacidade no atendimento ao público apenas para retirada e entrega de alimentos no estabelecimento (aqueles que funcionam dentro de hotéis e pousadas só podem para funcionar para hóspedes e empregados).

Liberados a partir do dia 8/6

Comércio e atividades de serviço em geral com regras específicas (com exceção daqueles suspensos até o dia 21/6);Bares, restaurantes, lanchonetes e similares com 50% da capacidade para retirada e entrega a domicílio;Shoppings e centros comerciais das 12h às 20h, com o seguinte protocolo: EPIs e produtos de higienização, como álcool gel, para todos os funcionários, entregadores e prestadores de serviço; álcool gel ou similares na entrada do estabelecimento, das lojas e dos elevadores; distanciamento de um metro, uso de máscaras; praças de alimentação com apenas 50% das mesas e assentos; e fechamento de áreas de recreaçãoPostos do DetranPrática de atividades ao ar livre, inlcuindo em praias, lagoas, rio e piscinas públicas;

Suspensão até o dia 21/6

Eventos com público: eventos desportivos, show, salão e casa de festas, eventos científicos, feira, comício, carreatas, passeatas e afins;Pontos turísticos: Pão de Açúcar, Corcovado, Museus, AquaRio, Rio Star roda-gigante e os demais;Cinema e teatro;Visita a unidades prisionais;Transporte de detentos para audiência apenas com justificativa;Visitas a pacientes com Covid-19 nas redes hospitalares pública e privada;Aulas presenciais;Circulação de transporte rodoviário intermunicipal, regular, fretamento e complementar entre os municípios de Volta Redonda, Barra Mansa e Pinheiral e as demais cidades do estado; Academias, centros de ginástica e similares;Praias, lagoas, rios e piscinas públicasObras e reparos não emergenciais em imóveis residenciais e comerciais.

O que já está autorizado

Serviços essenciais, como supermercados, hospitais, clínicas, farmácias e afins;Pequenos estabelecimentos, como lojas de conveniência, mercado de pequeno porte, açougue, aviário, padaria, lanchonete, hortifruti, e demais, desde que não haja permanência contínua e aglomerações;Feiras livres, com barracas a pelo menos 1 metro de distância e disponibilização de álcool gel para os colaboradores e clientes;

Horários determinados das atividades

Comércio de produtos essenciais: sem horário fixo;Indústrias e serviços: 9h às 17h;Comércio varejista: 11h às 19hConstrução civil: 7h às 15h