Rebeldes do Tigré dizem ter tomado o controle de uma cidade estratégica

·2 min de leitura
Soldados etíopes estão detidos por combatentes da TPLF em Mekele, em 2 de julho de 2021 (AFP/Yasuyoshi Chiba)

Os rebeldes da Frente de Libertação do Povo Tigré (TPLF), que há um ano enfrentam o exército federal etíope, garantiram neste sábado (30) que tinham assumido o controle da estratégica cidade de Dessie, embora o governo central o negue.

Habitantes de Dessie, na região de Amhara, vizinha ao Tigré, confirmaram à AFP a presença de combatentes da TPLF nesta localidade após a retirada, segundo eles, do exército etíope.

Ao mesmo tempo, o Departamento de Estado dos Estados Unidos exigiu que os rebeldes do Tigré "parem seus avanços" no norte da Etiópia, especialmente "nas regiões de Amhara e Afar" e "em torno das cidades de Dessie e Kombolcha".

Se a tomada de Dessie pelos rebeldes for confirmada, isso significaria um "grande revés para as autoridades etíopes", que estiveram envolvidas por um ano no conflito com a TPLF.

"A cidade de Dessie está sob o controle total de nossas forças", disse no Twitter o porta-voz da TPLF, Kindeya Gebrehiwot, sobre uma cidade onde há uma grande presença de pessoas deslocadas pelos combates em Tigré.

"Dessie e seus arredores ainda estão sob nossas forças de segurança", observou o serviço de comunicação do governo no Facebook.

Segundo um vendedor de Dessie, entrevistado pela AFP, os combatentes da TPLF percorriam as ruas da cidade nesta tarde de sábado, enquanto seus habitantes tentavam fugir para o sul em ônibus.

“A cidade agora está quieta, as pessoas voltaram para suas casas (...) ou estão tentando fugir para Kombolcha”, contou este comerciante, que disse se chamar Fantahun.

- "Sob o alcance da artilharia" -

Os habitantes de Dessie alertaram nos últimos dias sobre a concentração de tropas na região, pois milhares de pessoas que fugiam dos combates mais ao norte chegavam à cidade.

Em 20 de outubro, os rebeldes do Tigré alegaram que Dessie estava "sob o alcance da artilharia" e o presidente da região de Amhara, Yilkal Kefale, pediu aos milicianos de Amhara no dia seguinte que viessem à cidade para defendê-la.

O norte da Etiópia é palco de combates há quase um ano. O primeiro-ministro Abiy Ahmed enviou o exército à área para expulsar as autoridades regionais dissidentes, que fazem parte da TPLF, que ele acusa de organizar ataques contra bases militares.

Tendo governado a Etiópia por quase 30 anos, a TPLF foi progressivamente removida do poder desde a eleição de Abiy como primeiro-ministro em 2018.

Este conflito em Tigré obrigou milhares de pessoas a se deslocarem e, segundo a ONU, cerca de 400.000 habitantes da área estão à beira da fome.

str-amu/jhd-ayv/thm/eb/eg/gf/ic

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos