Recém-filiado ao PSDB, Rodrigo Garcia diz que é pré-candidato ao governo de SP

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO — Filiado ao PSDB há 17 dias, o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, anunciou, nesta segunda-feira (31), que é pré-candidato ao governo paulista. Ele se prontificou, ainda, a disputar prévias caso outro político do partido tenha interesse em concorrer ao cargo. O atual governador, João Doria (PSDB), deve participar das prévias que vão escolher o candidato da sigla à Presidência da República.

Ao se filiar ao partido, no último dia 14, egresso do DEM, Garcia disse que só falaria de eleição em 2022. Em suas palavras, só se trata deste assunto "em ano par". Apesar disso, o vice-governador resolveu antecipar o anúncio da pré-candidatura para o mesmo dia em que uma comissão interna da legenda informou um formato de prévias para a candidatura à presidência que representou uma derrota a Doria, por dar mais peso ao voto de quem tem cargo.

Embora Garcia esteja aberto a disputar prévias no estado, é quase um consenso no PSDB que o atual ocupante de um cargo eletivo deve ter preferência na tentativa de reeleição. Dentro do partido, o ex-governador Geraldo Alckmin também gostaria de disputar o Palácio dos Bandeirantes e tem discutido a possibilidade de se filiar a outros partidos — atualmente DEM e PSD estão à frente das negociações.

Numa tentativa de deixar Garcia mais conhecido do eleitor, Doria tem aberto espaço para ele participar das entrevistas coletivas semanais em que são apresentados dados sobre a pandemia do coronavírus e medidas tomadas peo governo do estado. Existe a expectativa que se intensifiquem viagens ao interior do estado para aproximá-lo também de prefeitos tucanos.

A saída de Garcia do DEM, partido ao qual foi filiado por 26 anos, gerou críticas de dirigentes, como o presidente nacional da legenda, ACM Neto. Na ocasião, ele disse que Doria era "desagregador" e que sua postura era responsável por "afastar aliados".

Embora ainda falte mais de um ano para a disputa no estado, o líder sem-teto Guilherme Boulos (PSOL) também já manifestou o desejo de concorrer ao Palácio dos Bandeirantes. No PT, é esperado que o ex-prefeito Fernando Haddad seja candidato, embora ele não tenha admitido isso publicamente. O deputado estadual Arthur do Val (Patriota) é outro que manifestou a vontade de entrar na disputa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos