Receita estadual realiza operação contra sonegação e fraudes fiscais

Extra
·1 minuto de leitura

A Secretaria estadual de Fazenda do Rio (Sefaz-RJ) iniciou, na última quinta-feira (dia 18), uma ação contra empresas noteiras, que emitem notas fiscais que não correspondem a operações reais. Por meio da Operação Maçarico XVIII, auditores fiscais da Receita verificam a existência de contribuintes e suas atividades em empresas com indícios de simulação de operações e ausência de endereço físico.

Serão vistoriados, além da capital, estabelecimentos localizados em São Gonçalo, Itatiaia, Seropédica, Campos dos Goytacazes, Macaé, Niterói, São Fidélis, São João de Meriti, Paty do Alferes, Conceição de Macabú, Tanguá, Duque de Caxias, Araruama e Itaguaí. Juntos, esses contribuintes emitiram mais de R$ 300 milhões em notas fiscais desde o início do ano passado.

Onde as suspeitas de irregularidades forem confirmadas, as inscrições estaduais serão impedidas preventivamente enquanto correr o processo de cancelamento definitivo.

“Em muitos casos, as empresas suspeitas foram abertas recentemente ou estiveram inativas por um longo período e passaram a emitir um grande volume de notas fiscais em um curto período de tempo. A atuação dos Auditores Fiscais da Receita Estadual é muito importante pois, por meio dela, é possível estancar a emissão de notas fiscais simuladas que podem ser utilizadas para sonegação e lavagem de dinheiro, causando grandes prejuízos ao erário”, explica o superintendente de Fiscalização da Sefaz-RJ, Almir Machado.

A Operação Maçarico XVIII é parte do programa “Na Mira da Receita Estadual”, criado para fortalecer o combate à sonegação fiscal e à concorrência desleal, contribuindo para o aumento da arrecadação de impostos sem alterar a carga tributária.