Recesso prolongado em SP começa com isolamento estável; taxa cresce em cidades do litoral

Cleide Carvalho
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO -- O início do recesso na capital paulista, com antecipação de cinco feriados municipais, não alterou a taxa de isolamento na cidade, que permaneceu estável em 42% entre quinta-feira e sexta-feira, primeiro dia de vigência do decreto municipal. Alguns municípios turísticos, porém, registraram aumento, indicando menor circulação de pessoas. Segundo dados do sistema de monitoramento do governo do estado, a taxa passou de 46% para 47% em Guarujá e de 41% para 43% em Santos, na Baixada Santista. No litoral Norte, a cidade de Ubatuba viu a taxa subir de 51% na quinta-feira para 53% na sexta. Em Caraguatatuba, aumenou de 44% para 45%. Em Bertioga, porém, ficou estável em 56%.

Os índices de isolamento no sábado devem ser atualizados no fim da tarde deste domingo.

Na tarde deste sábado, a Prefeitura de Guarujá desfez uma aglomeração de mais de 60 pessoas na Praia do Éden. Seis veículos foram multados e caixas de som foram apreendidas. Segundo a Prefeitura, a maioria dos carros tinha placas da capital paulista. A Guarda Municipal do município descobriu a aglomeração monitorando redes sociais. O setor de inteligência identificou fotos e vídeos publicados em redes sociais e foi até a praia. Os jovens estavam aglomerados na faixa de areia, sem máscara e com aparelhos de som em alto volume, o que é proibido mesmo quando não há medidas restritivas.

Com o feriado no município de São Paulo, que começou na última sexta e se estende até o dia 4 de abril, a Prefeitura montou seis barreiras sanitárias nas entradas da cidade. Entre sexta e sábado, 400 veículos foram impedidos de entrar no município.

Em Santos, cerca de 60 surfistas protestaram na manhã de sábado na Praia do Boqueirão - eles usavam máscara. A prática está proibida, mas o grupo argumenta que o esporte é individual. Todas as praias da Baixada Santista estão fechadas para o público desde o dia 15 de março. A determinação segue as regras da fase emergencial imposta pelo governo do estado, que proíbe uso de praias e parques.

No litoral Norte, em Boraceia, entre Bertioga e São Sebastião, uma pessoa fantasiada de 'morte' recepcionava os motoristas que passavam pela rodovia Rio-Santos na última sexta-feira.

Segundo a Ecovias, que administra as rodovias Anchieta e Imigrantes, que dão acesso ao litoral paulista, entre quinta e sexta-feira, 72.154 mil veículos passaram pelas rodovias em direção ao Litoral, 15% menos que nos mesmos dias da semana anterior. Nas rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto, usadas para chegar o litoral norte e Campos de Jordão, a queda foi de 23,87%, segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). A agência afirma que o fluxo de veículos nas principais rodovias do estado está 27% menor.