Recife: Ibope mostra Marília Arraes (PT) à frente de João Campos (PSB)

Bruno Góes
·3 minuto de leitura
Divulgação: PT
Divulgação: PT

BRASÍLIA — Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira aponta para uma inversão do favoritismo em segundo turno. Marília Arraes, do PT, tem 45% das intenções de voto, enquanto João Campos (PSB) aparece com 39%. No primeiro turno, o filho do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos e aliado do atual prefeito, Geraldo Julio (PSB), era favorito em todos os cenários. Agora, Marília aparece numericamente à frente. Como a margem de erro do levantamento é de três pontos, para mais ou para menos, os candidatos estão empatados tecnicamente no limite da margem de erro.

De acordo com o levantamento do Ibope, 15% dos entrevistados declararam votar em branco ou nulo, enquanto 1% não respondeu. Descartando essas intenções de voto, a petista teria 53% dos votos válidos, contra 47% de João Campos.

Na aferição espontânea, em que os candidatos não são citados, Marília também aparece numericamente à frente, com 41% das intenções de voto. Já João Campos é citado por 37% dos entrevistados. Brancos e nulos somam 16% e não sabem 5%. A pesquisa, encomendada pela TV Globo e pelo Jornal do Commercio, ouviu 1.001 eleitores do Recife entre segunda e esta quarta-feira. No TSE, o levantamento é registrado com a identificação PE-06514/2020.

No primeiro turno, João e Marília, que são primos de segundo grau, tiveram, respectivamente, 29,17% e 27,95% dos votos válidos.

Ficaram de fora do segundo turno candidatos de direita e centro direita, como Mendonça Filho (DEM) e Delegada Patrícia Domingos (Podemos), que somaram 39% dos votos válidos.

Após a eleição, Mendonça e Patrícia se recusaram a apoiar PT ou PSB na disputa. Entretanto, o partido da delegada, o Podemos, declarou apoio a Marília, assim como Armando Monteiro, cacique do PTB. Na capital de Pernambuco, a tendência é que a disputa vire um pleito plebiscitário sobre a aprovação ou rejeição da hegemonia do PSB. São quase oito anos de poder na prefeitura e 14 no estado.

Além de reunir apoio de fora da esquerda, Marília contará com forte apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele já gravou vídeos para a campanha e prometeu ir à posse da petista, caso seja eleita.

Apesar de ser um disputa local, o primeiro turno representou uma derrota para o presidente Jair Bolsonaro. Ele declarou apoio formal a Delegada Patrícia Domingos, do Podemos, que teve 14,06% dos votos válidos e ficou em quarto lugar. Ficou atrás de Mendonça Filho (DEM), com 25,11% dos votos. A candidata, no entanto, já estava em queda quando o presidente da República resolver interferir na capital de Pernambuco.

Ainda de acordo com o Ibope, Marília Arraes se destaca entre eleitores mais jovens, de 16 a 24 anos (54% das intenções de voto). As menções à petista também evoluem conforme cresce o grau de instrução do entrevistado. Já as intenções de voto em João Campos aumentam conforme diminui o grau de instrução e renda do entrevistado: tem 52% entre eleitores com ensino fundamental, recuando para 33% entre os que têm ensino superior e obtém 44% entre aqueles cuja renda familiar é de até um salário mínimo, indo para 30% entre os que têm renda superior a 5 salários mínimos.