Reconhecimento facial pode se tornar parte nativa do Android Q

Felipe Demartini
Google estaria trabalhando na implementação de sensores dedicados a recurso, que também poderiam ser usados para compras online e outras solicitações de autenticação. Novidade ainda não tem data para dar as caras no sistema operacional

O reconhecimento facial pode, em breve, se tornar parte integrante do Android Q. Pelo menos, é o que indica uma série de códigos ainda inativos, mas presentes na mais recente build do sistema operacional, sinalizando para um trabalho que vem sendo feito pela Google para adicionar mais segurança e funcionalidades ao recurso.

Hoje, o sistema de reconhecimento facial em celulares compatíveis é gerenciado a partir do sistema Google Play Services. Apesar de funcional, ele é considerado antiquado e pouco seguro para uso, por exemplo, em sistemas de pagamento ou autenticações mais críticas, justamente o que a companhia desejaria mudar com a nova versão do Android e a transformação do recurso em parte integrante da plataforma.

De acordo com os códigos, analisados pelo site XDA Developers, a ideia da Google é utilizar sensores dedicados ao reconhecimento facial, e não apenas a câmera, para melhorar a detecção dos rostos dos usuários. A transformação do recurso em algo nativo também o coloca lado a lado com outras soluções, como a leitura de impressões digitais e o uso de PINs numéricos, senhas ou padrões. Estes, inclusive, também serviriam como backup para os momentos em que o sistema não fosse capaz de liberar o uso por meio da identificação de rosto.

Esse, inclusive, seria o grande foco de trabalho atual, com boa parte dos códigos encontrados se relacionando a mensagens de erro para os momentos em que a detecção não funcionar. Outro ponto adiantado pela programação é que administradores podem desabilitar completamente o uso do recurso, de forma que celulares corporativos, por exemplo, não possam ser liberados pela autenticação facial, ainda considerada bem fácil de se burlar.

Os códigos também indicam uma aposta de longo prazo da Google, que confia no incremento da tecnologia por meio de sensores específicos, no lugar da alternativa mais simples e atual, que utiliza a câmera. Por outro lado, isso também significa que, uma vez implementados, os novos recursos também não funcionarão de maneira completa em muitos dos smartphones disponíveis no mercado atual, que simplesmente não possuem tais elementos de hardware.

Como sempre, não existem palavras oficiais da Google sobre esse assunto e a especulação do XDA Developers se volta até mesmo para a existência de um vindouro aparelho com tais sensores, seja pelas mãos da companhia ou de fabricantes parceiras. A evolução nos sistemas de reconhecimento facial já é algo amplamente esperado e, agora, parece que ela está mais próxima de nós do que jamais esteve.


Fonte: Canaltech