Recontagem de votos no Equador confirma vitória de governista

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após 13 horas de uma inédita recontagem de votos no Equador, o CNE (Conselho Nacional Eleitoral) confirmou nesta terça (18) a vitória do governista Lenín Moreno na eleição presidencial do país.

Transmitida pela TV estatal, a recontagem foi feita em 11,2% dos votos do segundo turno da eleição presidencial de 2 de abril.

"Concluímos a recontagem dos votos e com isto ratificamos os resultados proclamados pelo CNE [Conselho Nacional Eleitoral]. Revisamos 3.865 atas, que representam aproximadamente 1.275.450 votos, e a estas se somaram 300.000 votos recontados nas juntas provinciais", afirmou o presidente do CNE, Juan Pablo Pozo.

Segundo o órgão eleitoral equatoriano, Moreno obteve 5.062.018 votos ou 51,16% do total, contra 4.833.389 votos (48,84%) para Lasso. O resultado é ainda mais favorável ao governista do que o obtido na contagem inicial. Na ocasião, Moreno aparecia com 51,15% dos votos, contra 48,85% para Lasso.

A recontagem, feita em Quito com a presença de observadores da OEA e da Unasul, foi pedida por Guilherme Lasso, que não aceita a derrota no pleito e classifica as eleições como fraudulentas.

Lenín Moreno assumirá o poder no dia 24 de maio, no lugar de Rafael Correa, que está no poder desde 2007.