Recorde de mortes por covid-19 no Brasil e UTIs lotadas: as notícias da semana

Luciana Pioto
·2 minuto de leitura

A semana foi marcada por alguns dos piores dias relativos à mortes por coronavírus no país. Ao menos 12 estados brasileiros e o Distrito Federal estão com taxas de internação por Covid-19 acima de 80%, nível considerado crítico. São eles: Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Paraná, Pernambuco, Piauí , Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia e Santa Catarina.

E as internações por Covid-19 na rede pública do Brasil cresceram 8,7% em dez dias, segundo levantamento realizado pelo Globo, a partir de informações das secretarias estaduais de saúde. São cerca de 28,8 mil pessoas internadas pela doença em leitos de enfermaria e UTI do Sistema Único de Saúde. No dia 12 de fevereiro, eram aproximadamente 26,5 mil internados.

Leia também:

Acre afunda em crise de todos os lados

O Acre foi atingido por uma enchente de rios, que afetou 130 mil pessoas em dez cidades. Segundo o portal G1, a Defesa Civil estima ainda 118.496 pessoas atingidas pelas enchentes. O órgão considera atingidas pela cheia casas onde a água chegou, desabrigando ou não os moradores. Mesmo com a vazante dos rios, o número ainda deve aumentar por causa dos efeitos pós-cheia.

Além das questões envolvendo enchentes, o estado enfrenta calamidade no combate à covid-19 e uma crise migratória. Imigrantes do Haiti foram barrados na fronteira com o Peru. Há, ainda, um surto de dengue que afeta o Acre.

Flamengo é octacampeão brasileiro

O Flamengo é bicampeão do Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro chegou ao seu oitavo título da primeira divisão mesmo perdendo para o São Paulo, por 2 a 1, na noite desta quinta (25), em jogo realizado no Morumbi, em São Paulo. Apesar do tropeço do Flamengo, o principal rival na briga do título também não venceu. Em Porto Alegre, o Internacional não saiu do 0 a 0 com o Corinthians, tendo um gol anulado já nos acréscimos do segundo tempo.

Governo intervém na Petrobras e cria crise

Depois de anunciar a troca no comando da Petrobras na sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro viu os efeitos caóticos de sua mudança nesta semana. O mercado reagiu à interferência do presidente na estatal e, além de queda abrupta nos papéis da empresa na Bovespa, a própria Bolsa despencou e o dólar chegou a bater 5,53. De saída da presidência da Petrobras, Roberto Castello Branco divulgou o balanço da estatal, com lucro recorde de quase 60 bilhões de reais no segundo semestre de 2020.

STJ anula quebra de sigilo bancário e fiscal de Flávio Bolsonaro

O STJ formou maioria nesta terça-feira para declarar a nulidade da quebra de sigilo bancário e fiscal do senador Flávio Bolsonaro, do Republicanos do Rio, no âmbito das investigações no caso da "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Os ministros da Quinta Turma, colegiado encarregado de analisar a matéria, identificaram problemas de fundamentação na decisão judicial.