Recorde de desmatamento na Amazônia é 'péssimo' e 'horrível', diz Mourão

***ARQUIVO*** Apui, AM. 20/08/2020. Desmatamento recente no município de Apui, no sul do Amazonas. ( Foto: Lalo de Almeida/ Folhapress )
***ARQUIVO*** Apui, AM. 20/08/2020. Desmatamento recente no município de Apui, no sul do Amazonas. ( Foto: Lalo de Almeida/ Folhapress )

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (Republicanos), classificou como "péssimos" e "horríveis" os dados que apontam que o Brasil registrou um recorde de desmatamento da Amazônia Legal em abril.

Mourão é presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal e afirmou nesta segunda-feira (9) que é necessário identificar "onde está havendo falhas" no trabalho do governo.

O vice-presidente citou a falta de dinheiro do Executivo para investir na preservação da Amazônia. "O nosso problema para melhorar a fiscalização é que a gente consiga implantar o sistema de bases fixas que está previsto no plano aí no Guardiões do Bioma, mas aí depende de recurso", afirmou.

Os dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) foram divulgados na sexta-feira (6) e apontaram que os alertas de desmatamento na Amazônia em abril atingiram 1.012,5 km² de floresta .

Esta foi a primeira vez que um dos primeiros quatro meses do ano apresenta desmatamento que ultrapassa a casa de 1.000 quilômetros quadrados. Pode ainda haver um aumento no dado, considerando que o Inpe divulgou a taxa registrada até o dia 29 do mês passado.

O dado representa um salto expressivo de 74% em relação aos alertas de desmate registrados em abril do ano passado, cerca de 580,5 km², um número que também era o recorde para o mês.

Mourão mencionou a possibilidade de pessoas estarem se aproveitando do fato de 2022 ser ano de eleições para infringirem as regras da área.

"Nós estamos num processo eleitoral. Então, vamos dizer, assim, há uma vigilância menor na tese deles. É muita gente operando na ilegalidade", disse.

Mourão disse que não esperava um número tão ruim porque "houve um tempo em que o satélite não estava enxergando alguma coisa e os dados não estavam aparecendo".

"Os maiores índices nesse mês de abril foram lá no Estado do Amazonas, naquela região sul do Amazonas, uma região um pouco complicada ali, ao longo da BR-230, ali [próximo de] Humaitá e Apuí. Então, tem que ver o que está havendo, onde é que nós estamos errando", afirmou.

Também nesta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro publicou um vídeo nas redes sociais para rebater as críticas de que o governo não trabalha para preservar o meio ambiente. A gravação é narrada em inglês e diz que o Brasil é "um país livre e extremamente preservado ".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos