Recordista Diego Godín comanda Uruguai na final da China Cup

O zagueiro uruguaio Diego Godín vai disputar com a camisa da 'Celeste' seu jogo de número 125

Aos 33 anos, Diego Godín volta a fazer história com a 'Celeste' quando na segunda-feira se tornará o jogador com mais partidas na história da seleção do Uruguai ao enfrentar a Tailândia na final da China Cup 2019.

É que o capitão uruguaio chega a seu jogo de número 125 com uma seleção na qual começou como substituto de outro ídolo, o também zagueiro e capitão Diego Lugano, já aposentado.

Godín, que goza de grande prestígio no Atlético de Madrid, onde também usa a braçadeira de capitão, é um excelente cabeceador, mas sobretudo um pilar do time dirigido por Oscar Tabárez, outro recordista ao ser o técnico com o maior número de jogos no comando de uma seleção na história do futebol.

Elegante, meticuloso no jogo, aguerrido e sempre a favor do trabalho em equipe, Godín é não só uma referência para seus companheiros em campo, mas também fora.

Foi assim que se transformou em um porta-voz pelos direitos dos jogadores de todas as divisões do futebol uruguaio dentro da dividida realidade da Associação Uruguaia de Futebol (AUF), que sofreu intervenção da Fifa.

Em Nanning, quando enfrentar a Tailândia, que surpreendeu ao derrotar a China se classificando para a final, Godín vai superar Maximiliano Pereira como o jogador com mais jogos vestindo a celeste.

O Uruguai chegou a essa decisão ao vencer o Uzbequistão na sexta-feira por 3 a 0.

Em entrevista coletiva, o capitão uruguaio considerou o torneio asiático "muito importante" para o Uruguai, como preparação para a Copa América que vai ser disputada no Brasil em junho de 2019.

O Uruguai já havia aproveitado a China Cup 2018 visando a Copa do Mundo da Rússia.

- Seleção de 'centenários' -

O técnico Tabárez manteve a estrutura de base de sua seleção, na qual Godín integra a coluna vertebral junto com Luis Suárez e Edinson Cavani, outros dois jogadores 'centenários' da seleção celeste.

O 'Matador' do PSG, que tem 32 anos de idade, já disputou 108 jogos com o Uruguai. Já o 'Pistolero', artilheiro do Barcelona e também com 32 anos, jogou 104 partidas vestindo a camisa Celeste e é o maior artilheiro da história da seleção uruguaia com 55 gols.

Nenhum dos dois vai enfrentar a Tailândia na segunda-feira, por terem se machucado nos campeonatos nacionais de seus clubes.

- Uruguai favorito -

Os uruguaios chegam como francos favoritos para defender o título de 2018, com um Christian Stuani inspirado e em seu melhor momento como artilheiro.

Na sexta-feira, a seleção celeste mostrou um bom jogo coletivo, com Nicolás Lodeiro recuperando as bolas e criando jogadas para Stuani.

Os uruguaios fizeram neste domingo o último treino antes do jogo de segunda-feira em Nanning, segundo imagens divulgadas pela AUF. A bola rola às 8h35 (pelo horário de Brasília).

Na zaga comandada por Godín estará aquele que poderá ser seu herdeiro, se o Uruguai seguir a tradição que se instalou. José María Giménez, seu companheiro e pupilo no Atlético de Madrid, com apenas 24 anos, vai jogar sua partida de número 46 com o Uruguai, uma estatística que o credencia para no futuro ser também um jogador 'centenário' da Celeste.