Rede estadual de SP terá 1 em cada 5 escolas em tempo integral em 2021

ISABELA PALHARES
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador João Doria (PSDB) anunciou que no próximo ano 1 em cada 5 escolas da rede estadual paulista irá ofertar vagas em tempo integral. O aumento de vagas nessa modalidade era uma das principais promessas de campanha e foi acelerada para conter os prejuízos educacionais com a pandemia do novo coronavírus. Nesta quinta, 5, o governador anunciou que 400 escolas foram selecionadas para ofertar a modalidade em 2021, alcançando 1.064 unidades. Elas irão atender 542 mil alunos em período integral, o que representa 14,8% das matrículas da rede estadual. "Escola de tempo integral foi um dos projetos que, logo na primeira semana [de governo], apresentamos como uma das propostas prioritárias da educação e vamos continuar acelerando a implementação em mais unidades", disse o governador. Com a expansão anunciada para o próximo ano, São Paulo se aproxima da meta estabelecida pelo PNE (Plano Nacional de Educação) de ter 25% dos alunos matriculados em tempo integral e 50% das escolas com oferta nessa modalidade até 2024. "Vamos cumprir a meta no número de matrículas com certeza. No número de escolas vai depender, porque nossa prioridade é transformar escolas maiores do período regular para o integral e, assim, atender mais alunos", disse o secretário da Educação, Rossieli Soares. Em escolas com essa modalidade, estudantes de ensino fundamental e médio têm, além das disciplinas obrigatórias, orientação para estudos, preparação para o mercado de trabalho e atividades extras, como dança, xadrez e debates. A carga horária é de até 9 horas e meia -na rede regular, é de 5 horas e 15 minutos. Em 2019, primeiro ano da gestão Doria, 53 novas escolas passaram a ofertar a modalidade. Neste ano, mais 247 foram selecionadas para o programa. A expansão para 2021, com 400 novas, é a maior já feita. "O programa já era a nossa prioridade, mas se torna ainda mais importante com o desafio da pandemia. Estamos trabalhando em inúmeras frentes, porque, com os efeitos da pandemia, nossa preocupação com o aprendizado é gigantesca", disse Soares. As aulas presenciais na rede estadual de São Paulo ficaram suspensas por mais de seis meses. Apesar da oferta de atividades remotas, a secretaria não conseguiu a participação de todos os estudantes. Além dos prejuízos na aprendizagem, a preocupação é de que possa haver aumento no abandono escolar. Em todo o país, experiências com o ensino integral têm contribuído para a melhora dos índices de aprendizagem, sobretudo no ensino médio. As escolas que trabalham em jornada estendida avançaram quase o dobro das que atendem em carga horária regular no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Brasileira) em 2019. Em São Paulo, por exemplo, as 33 escolas estaduais com melhor desempenho no Ideb são de período integral. No ensino fundamental, 9 das 10 com melhores notas são dessa modalidade. Segundo o secretário, a escolha da unidades que vão integrar o programa dependeu de consulta e aprovação da comunidade escolar. Também foram priorizadas escolas com maior vulnerabilidade e tamanho (acima de 12 turmas).