Redemoinho de fogo é registrado no Pantanal do MS

·1 minuto de leitura

RIO — Um redemoinho de fogo foi registrado no Pantanal mato-grossense, em Paraguai-Mirim, ao norte de Corumbá, no último sábado. Brigadistas que atuavam no local precisaram se afastar devido a sua velocidade, segundo informações do Diário Corumbaense.

De acordo com a Metsul Meteorologia, o fenômeno não é incomum no Centro-Oeste do Brasil no final da temporada seca, que ocorre entre os meses de setembro e outubro, e ocorreram episódios semelhantes nos últimos anos em estados como Mato Grosso e Goiás, além do Mato Grosso do Sul.

Nessa época, a vegetação fica muito seca e os dias são quentes e de baixíssima umidade relativa do ar, criando condições favoráveis para a formação do redemoinho. No sábado, a temperatura em Corumbá chegou a 38,9ºC com umidade relativa do ar de apenas 20%.

Um redemoinho de fogo consiste em um núcleo em chamas e um vórtice giratório de ar e pode atingir até 1.090°C de temperatura, segundo a Metsul. Eles se formam quando uma corrente de ar quente e a convergência do incêndio estão presentes, costumam ter entre 10 e 50 metros de altura, alguns metros de largura e durar apenas alguns minutos.

Outro fenômeno observado no final de semana foi uma tempestade de areia, que tomou conta de cidades do interior de São Paulo no fim da tarde de domingo. Moradores registraram em vídeos cidades como Presidente Prudente, Franca, Jales, Araçatuba, Barretos e Araçatuba tomadas por um vendaval e nuvem de poeira. Também houve registro de tempestade de areia no interior de Minas Gerais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos