Redes pública e privada de ensino divergem sobre aulas no feriado em SP

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A antecipação do feriado de Corpus Christi em março em algumas cidades, como no caso da capital paulista, provocou reflexos nas aulas. Enquanto a rede privada de ensino não deverá ter aulas nesta quinta-feira (3) e sexta-feira (4), na rede pública, os estudantes só não irão para as escolas nas cidades que não anteciparam o feriado.

A Secretaria Municipal de Ensino de São Paulo, gestão Ricardo Nunes (MDB), afirma que as aulas ocorrerão normalmente. Já a Secretaria de Estado da Educação, gestão João Doria (PSDB), diz que as aulas presenciais só serão mantidas nas cidades que não anteciparam a data. Nas demais, como no caso de São Paulo, as aulas continuam normalmente. A pasta estadual informou ainda que o Centro de Mídias continuará a oferecer aulas inéditas com revisão de conteúdo.

Já a maior parte das escolas da rede particular de ensino deve suspender as aulas e respeitar o feriado, segundo Benjamin Ribeiro da Silva, presidente do Sieeesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo).

Ele explica que essa não é uma orientação do sindicato, mas sim, ao calendário escolar que foi estabelecido antes dos anúncios de antecipação dos feriados. "Tanto o é que as aulas continuaram mesmo quando as cidades fizeram a antecipação. Nossa orientação à época foi a de pagar a hora extra ou indicar que os funcionários fizessem banco de horas", disse.

Híbrido Todas as redes de ensino estão autorizadas a receber alunos presencialmente, com até 35% do limite da sala de aula e seguindo todos os protocolos.

Além de São Paulo, cinco das sete cidades do ABC paulista também anteciparam o feriado: Santo André, São Bernardo do Campo, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires. Por sua vez, Guarulhos, Rio Grande da Serra, Osasco e São Caetano do Sul não anteciparam.

Algumas das cidades que anteciparam o feriado de Corpus Christi ainda não retomaram as aulas presenciais. É o caso de Ribeirão Pires, que só deve retomar as aulas na próxima segunda-feira (7), e Mauá e Diadema, que só terão aulas presenciais a partir do dia 27 de julho. São Bernardo do Campo e Santo André terão aula normalmente.

Em Santo André, no sábado (5) e no domingo (6), serão vacinados todos os profissionais da educação com o imunizante do Butantan, a CoronaVac. Com isso, a administração municipal espera vacinar todos os profissionais de educação até o final de junho, já que o intervalo entre a primeira e a segunda dose é de 21 dias.

Segundo a prefeitura, devem ser vacinados 3,7 mil profissionais da educação. Essas doses da CoronaVac fazem parte de uma "reserva técnica" que o município conseguiu acumular, já que recebeu um número de doses um pouco maior do que a quantidade de pessoas vacinadas. Além disso, ainda segundo a prefeitura, as equipes responsáveis pela imunização conseguiram extrair até 12 doses de alguns frascos. A quantidade média é de 10 doses em casa frasco.