"Referendos" nas regiões separatistas da Ucrânia em curso

Consultas populares decorrem até 27 de setembro e já foram apelidadas de farsa