Refinaria da Petrobras fará parada de manutenção em Canoas

A Petrobras vai fazer na segunda quinzena deste mês, a maior parada de manutenção da companhia em 2023, na Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), em Canoas, no Rio Grande do Sul, fundada em 1968. Para garantir a confiabilidade da refinaria, a implantação de projetos que aumentam a eficiência energética e a segurança dos processos, a Petrobras vai investir R$ 450 milhões. De acordo com a petroleira, com a operação no período de aproximadamente três meses, serão gerados cerca de 5 mil postos de trabalho diretos e indiretos.

Os serviços de manutenção, inspeção e substituição de peças e equipamentos serão feitos nas unidades de craqueamento catalítico, destilação, geração de hidrogênio e tratamento de diesel e gasolina. Para o gerente-geral da Refap, Gerson Cesar Souza, a operação vai resultar em muitos ganhos para a refinaria. “Devido às características das unidades operacionais, as paradas de manutenção são realizadas de forma escalonada, executando extensa atividade que garante a implantação de melhorias tecnológicas, tornando a produção mais eficiente, inclusive com ganhos ambientais”, explicou.

A Petrobras contratou empresas especializadas para trabalhar dia e noite em serviços de manutenção, apoio e infraestrutura, sem riscos de desabastecimento do mercado. “Nosso planejamento logístico sempre atua de forma a gerar estoques prévios às paradas e, durante o evento, atuamos fortemente em logística para atendimento aos clientes Petrobras. A companhia também está investindo na recuperação de tanques de petróleo, ampliando a capacidade de estocagem na refinaria”, informou o gerente-geral.

Produção

Segundo a Petrobras, a produção da Refap está destinada, especialmente, ao diesel, gasolina, GLP, óleo combustível, querosene de aviação, asfalto, coque, enxofre e propeno. “A refinaria atende o mercado do Rio Grande do Sul, parte de Santa Catarina e Paraná, além de outros estados por cabotagem”.

A Refap atingiu em 2022, marcos importantes na produção. O destaque ficou com o Diesel S-10, que teve no ano, a maior produção do combustível na refinaria, com recordes sucessivos, superando em 14% a produção do ano anterior.

Conforme a companhia, o Diesel S-10 é um combustível com baixo teor de enxofre, que atende às tecnologias mais modernas de motores em uso no Brasil, além disso, tem registrado demanda crescente de mercado. Ainda em outubro do ano passado, a refinaria bateu recorde com a produção de asfalto, gerando 33,8 mil toneladas do produto.