Refinaria privatizada na Bahia vende gasolina 27% mais cara que Petrobras

·2 min de leitura
  • Landulpho Alves (Rlam) foi privatizada em dezembro de 2021

  • Nova empresa tem sido alvo de críticas por sucessivos aumentos

  • Preço médio da gasolina no país é de R$ 6,57

A Refinaria de Mataripe, antiga Landulpho Alves (Rlam), está vendendo gasolina 27,4% mais cara que a Petrobras. A refinaria, localizada na Bahia, foi privatizada em 2021 e tem sido alvo de críticas por sucessivos aumentos no preço do óleo.

O último reajuste na refinaria foi no sábado (5). Segundo estimativas do Observatório Social da Petrobras (OSP), organização ligada à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), a diferença entre o valor vendido pela empresa e pela estatal é ainda maior no diesel S-10 (28,2%).

"Só em 2022, já foram três aumentos da gasolina e do diesel e um reajuste do GLP (gás de cozinha), fazendo com que os combustíveis produzidos pela antiga RLAM tenham hoje os preços mais caros do Brasil", afirmou o presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniência do Estado da Bahia (Sindicombustíveis Bahia), Walter Tannus.

Com esses aumentos, a expectativa é que a Bahia ultrapasse o Rio de Janeiro e se torne o estado com a gasolina mais cara do Brasil.

Na última semana de janeiro, o preço médio da gasolina no estado ultrapassou a barreira dos R$ 7 por litro, chegando a R$ 7,024. Além da Bahia, quatro estados tinham preço médio acima desse patamar no mesmo período: Acre, Goiás, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro

Impacto da guerra da Ucrânia

Nesta terça-feira (8), o preço do barril de petróleo Brent, referência mundial, estava cotado a US$ 129,39, uma alta de 4,52%. Os conflitos na Ucrânia e o anúncio de embargo ao óleo e gás russos contribuem para a escalada de preços.

Desde o governo Michel Temer, o valor do combustível varia de acordo com o mercado internacional. Ou seja: a Petrobras faz os repasses às refinarias conforme a valorização do barril de petróleo no exterior.

Atualmente, o preço médio da gasolina no país é de R$ 6,57 e, do diesel, de R$ 5,60. Os dados são do levantamento da ANP, realizado entre 27 de fevereiro e 5 de março.

Temendo uma escalada ainda maior nos preços, o presidente Jair Bolsonaro classificou nesta segunda-feira (7) a Paridade Internacional do preço do petróleo como uma “legislação errada” e afirmou que está estudando uma forma de impedir que os combustíveis aumentem no Brasil.