Reforma administrativa: vínculo temporário é 'inconcebível' para a segurança pública, diz representante dos policiais federais

·1 minuto de leitura

Na audiência pública realizada nesta terça-feira (13 de julho) pela comissão especial da reforma administrativa na Câmara dos Deputados, o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio de Araújo Boudens, disse que o vínculo de experiência descrito na proposta do governo é “inconcebível” para os profissionais da segurança pública.

“As primeiras lotações de policiais federais acontecem em regiões de fronteiras. Cuidamos de questões de segurança nacional, como migração e importação e exportação, junto com Receita Federal. Temos muita dificuldade de conceber o vínculo temporário quando, desde o primeiro dia após a posse, o policial federal já assume responsabilidades, com autoridade concedida pelo Estado, para exercer um mister público e é cobrado por isso", ponderou.

Nesta quarta-feira, haverá mais uma audiência pública, com o tema estabilidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos