Reforma da Previdência faz um ano. Quanto tempo falta para sua aposentadoria? Veja aqui na calculadora

O Globo
·4 minuto de leitura
O Globo
O Globo

RIO - A reforma da Previdência, que alterou as regras das aposentadorias e pensões dos trabalhadores do setor público e privado, está completando um ano hoje.

Única grande reforma implementada pelo governo Bolsonaro, as mudanças no texto da Constituição tiveram como objetivo conter os gastos públicos e, para tanto, estabeleceram idade mínima para aposentadoria, aumentaram o tempo de contribuição e limitaram o valor dos benefícios.

As alterações atingem todos os trabalhadores do país, mas em grau e intensidade diferentes, dependendo do tipo de atividade e do estágio da vida profissional em que cada um estava em 12 de novembro do ano passado, quando a reforma foi promulgada.

Para quem já estava no mercado, foram criadas regras de transição e diferentes formas de contabilizar a idade e o tempo de contribuição necessários para conseguir a aposentadoria.

Quer saber o seu tempo de contribuição? Veja o passo a passo para consultar o site do INSS

Confira em sete pontos todas as mudanças estabelecidas pela reforma da Previdência.

1. Idade mínima

O Brasil era um dos poucos países do mundo que não adotavam idade mínima para aposentadoria. Com a reforma da Previdência, a exigência foi criada para todos que não contribuíam ainda para o INSS até novembro do ano passado. Quem já está no mercado de trabalho, terá regras de transição.

Idade:Tempo de contribuição:Para quem vale:

2. Regras de transição no INSS

Para os trabalhadores do setor privado, que já contribuíam para o INSS, há quatro regras de transição, uma delas válida apenas para quem estava perto de se aposentar. A aposentadoria por idade, modalidade voltada sobretudo para trabalhadores de baixa renda e já existente antes, continua a existir e também tem transição. Conheça as regras:

As regras válidas para todos

São três regras que atendem a todos os trabalhadores da iniciativa privada. Dependendo da idade e do tempo de contribuição, uma regra pode ser mais vantajosa do que a outra. É preciso checar também o valor do benefício porque, em caso de aposentadorias precoces, haverá reduções no montante a receber.

Sistema de pontos:Idade mínima com tempo de contribuição:Pedágio de 100%:

Regra especial para quem está perto de se aposentar

Pedágio de 50%:Fator previdenciário:

Transição na aposentadoria por idade

Esta modalidade é muito usada por trabalhadores de baixa renda, que têm pouco tempo de contribuição, e normalmente se aposentam pelo piso, recebendo apenas um salário mínimo. Ela também terá regras de transição.

Idade:Tempo de contribuição: Escadinha:

Como será calculado o benefício?

Benefício integral:Escadinha:Na prática:Piso:

3. Regras de transição para os servidores

A reforma muda a previdência dos servidores públicos. Os servidores já precisavam cumprir uma idade mínima e só podem se aposentar aos 55 anos para mulheres e 60 anos para homens. Agora, a idade mínima subiu para 62 anos (mulheres) e para 65 anos (homens). Mas há duas regras de transição.

Transição pelo sistema de pontos

O servidor tem de somar idade e tempo de contribuição. A tabela de pontos, como no setor privado, começa em 86 pontos para a mulher e 96 pontos para os homens, chegando a 100 para as mulheres em 2033 e 105 para os homens em 2028. Mas além de somar os pontos, é preciso cumprir idade mínima e tempo de contribuição mínimo.

Idade mínima:Tempo de contribuição:

Valor do benefício no sistema de pontos

Pré-2003:Após 2003:

Transição pela regra do pedágio

Pedágio: Valor do benefício:

4. Pensão

As pensões para viúvas e viúvos e para os filhos mudaram também. Houve reduções nos valores a receber em caso de pensionistas que venham a receber aposentadoria ou aposentados que venham a receber pensão. Na calculadora da pensão do GLOBO, é possível simular o valor a receber.

Percentual:Cálculo do benefício:Salário mínimo: Parcela do dependente:Acúmulo de benefícios:

5. Professores

As novas regras para professores só terão de ser cumpridas integralmente por quem ingressou no mercado de trabalho após a reforma da Previdência.

Idade mínima:Setor público:Setor privado:Regras de transição:

6. Contribuição à Previdência

Outra mudança da reforma foi nas alíquotas de contribuição à Previdência. O percentual ficou maior para quem tem os maiores salários. E as alíquotas passaram a ser progressivas, incidindo por faixa do salário, num modelo igual ao do Imposto de Renda.

No INSS:Servidores:

7. Servidores estaduais e municipais

Estados e municípios:PMs e bombeiros: