Reforma no Santos Dumont eleva movimento no Galeão, mas sem transtorno

Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil

No primeiro dia de obras na pista principal do Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio de Janeiro, que ficará quase um mês praticamente fechado, o Aeroporto Internacional Tom Jobim – RioGaleão, na Ilha do Governador, registrou aumento significativo na movimentação de passageiros, mas não foram registrados transtornos.

Rio de Janeiro - Aeroporto Santos Dumont fica vazio em primeiro dia com maioria das operações transferidas para o Galeão. (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Santos Dumont fica praticamente vazio com a transferência de voos para o Galeão - Tomaz Silva/Agência Brasil

Enquanto isso, no Santos Dumont, que só vai operar pela pista auxiliar com alguns voos da Azul e da Passaredo, o movimento era praticamente nenhum.

A engenheira Monique Soares seguia na manhã de hoje (24) para Brasília e o voo da Gol foi transferido do Santos Dumont para o Galeão. Ela disse que foi informada da mudança com antecedência e aproveitou o ônibus disponibilizado pela companhia aérea para fazer o traslado entre os terminais. “Com antecedência eles ligaram e mandaram e-mail avisando. Eu moro no Flamengo, então é um pouco ruim, mas, com essa opção de ter o ônibus para deslocar os passageiros, não ficou tão ruim, porque a gente não teve que custear. Tem ônibus de uma em uma hora, então, sanou-se o problema.”

Um táxi do Flamengo até o Santos Dumont custa em torno de R$ 15 e, para o Galeão, sobe para R$ 50. No transporte por motorista de aplicativo, o mesmo trajeto custa cerca de R$ 10 até o Santos Dumont e R$ 40 até o Galeão.

Os taxistas que trabalham no Santos Dumont reclamaram da baixa no fluxo de passageiros. Segundo Antônio Carlos, integrante da Cooperativa AeroDumont, que opera no aeroporto do centro, a perda pode chegar a 60%. “Está complicado: vamos ter que segurar na rua, com aplicativo de táxi. No Galeão, a gente só pode subir para deixar passageiro e pegar se for pedido por aplicativo. Lá, no horário do rush, vai aumentar muito a demanda, e quem trabalha na rua vai para lá também. Não temos como fazer um acordo com eles porque lá é consórcio, aqui é direto com a Infraero”.

Os lojistas do Galeão já sentiram a diferença no aumento do movimento.

Segundo Beatriz Souza Santos, atendente de uma lanchonete no saguão de embarque, a expectativa é de aumento substancial nas vendas enquanto durarem as obras no Santos Dumont. “Deu para perceber o aumento, sim. Entre as 8h e as 10h o movimento era muito fraco, hoje teve um aumento, creio eu, de 50%. Estamos trabalhando a todo vapor, está bastante movimentado, sempre tem alguém entrando, comprando”.

Em nota, a assessoria de imprensa do aeroporto internacional informou que a operação segue normalmente, “com movimentação maior devido ao início da transferência dos voos para o RioGaleão, mas sem imprevistos até o momento”.

Assista na TV Brasil: