Premiê britânica crê que pode conseguir acordo comercial com a UE em 2 anos

Londres, 4 abr (EFE).- A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse nesta terça-feira que o "sensato e pragmático" seria conseguir um futuro acordo comercial entre o seu país e a União Europeia (UE) no prazo de dois anos de negociações do Brexit, que conclui em 29 de março de 2019.

May insistiu que "é possível" estabelecer os fundamentos desse pacto neste período de tempo, depois que Bruxelas indicou que sua prioridade para a negociação é estabelecer os termos da saída do Reino Unido e o status dos cidadãos comunitários expatriados.

A líder conservadora, que está de visita na Jordânia, fez essas declarações ao canal "Sky News", depois que o ministro das Relações Exteriores alemão, Sigmar Gabriel, que está em Londres, advertiu que a elaboração de um acordo comercial será um processo "muito trabalhoso".

Na carta que enviou a Bruxelas em 29 de março, May pediu para negociar o acordo de saída e o futuro acordo comercial ao mesmo tempo, algo que a UE rejeitou ao publicar suas próprias diretrizes.

May tentou, aparentemente, suavizar hoje sua postura, ao afirmar que esse pacto pode ganhar forma nos primeiros dois anos, mesmo que não seja firmado nesse prazo.

"Obviamente, existe uma situação legal que determina como a UE pode realizar as negociações comerciais", declarou May à "Sky News".

"Tenho certeza que, assim que deixarmos a UE, é correto que todo o mundo saiba quais serão as futuras disposições, a futura relação, a futura associação entre nós e a União Europeia", afirmou a premiê.

"Isso é o sensato, a maneira pragmática de olhar para isso, e acredito que é o que vamos fazer", afirmou May, que acrescentou que o acordo poderia ser pactuado no prazo de dois anos.

O chefe da diplomacia alemã se encontra hoje em Londres para se reunir com seu colega britânico, Boris Johnson; com o ministro para o Brexit, David Davis; com o diretor da Tate Britain, Nicholas Serota, e com o prefeito de Londres, Sadiq Khan, segundo a agenda divulgada em Berlim.

Em declarações prévias veiculadas pelos veículos de imprensa britânicos, Gabriel disse que, embora seja do interesse de todos um acordo comercial com o Reino Unido após o Brexit, primeiro é preciso "garantir uma saída ordenada".

"Temos tanto interesse como o Reino Unido em completar ambos os acordos o mais rápido possível", disse o ministro.

"Primeiro, devemos garantir uma saída ordenada, depois falaremos, tão em breve como for possível, sobre a futura relação, e chegar o mais longe que pudermos nos próximos dois anos", opinou o ministro alemão.

Gabriel descartou "especular" sobre um possível calendário quando "as negociações ainda nem começaram", mas afirmou que "ambas as partes devem reconhecer que um acordo sobre uma associação ampla será um empenho muito trabalhoso".

No dia 31 de março, ao publicar suas diretrizes de negociação, a União Europeia disse que começará a negociar a futura relação entre o bloco e o Reino Unido quando houver "progressos suficientes" no acordo da saída britânica, o que será avaliado, provavelmente, no segundo semestre deste ano. EFE