Região etíope de Amhara convoca cidadãos a lutar contra os rebeldes de Tigré

·2 minuto de leitura
Un manifestante realiza un saludo mientras grita consignas contra el Frente de Liberación Popular de Tigré (TPLF), en Adís Abeba, el 22 de julio de 2021

A região etíope de Amhara pediu, neste domingo (25), a todos os seus cidadãos armados que se mobilizem contra os rebeldes de Tigré, onde a guerra continua, informou a imprensa local.

Em um comunicado divulgado hoje, o presidente regional Agegnehu Teshager falou de uma "campanha de sobrevivência" para a região de Amhara, que faz fronteira com o sul do Tigré (norte).

As duas regiões enfrentam-se há décadas por uma zona de terras férteis, chave na guerra.

Na sexta-feira, a região de Afar, a leste de Tigré, fez um chamado semelhante aos seus combatentes civis.

Ambas as convocações sugerem que o conflito em Tigré pode se espalhar para outras partes da Etiópia, apesar do fato de o primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, ter reivindicado a vitória sobre os rebeldes no final de novembro.

"A partir de amanhã [segunda-feira], convoco todas as pessoas maiores de idade, armadas no nível governamental ou privado, a se mobilizarem em uma campanha de sobrevivência", disse Agegnehu.

"O apoio que estamos recebendo dos civis da região é avassalador. Temos orgulho disso", acrescentou.

Em novembro de 2020, após meses de tensões, Abiy, Prêmio Nobel da Paz de 2019, enviou o Exército federal para a região do Tigré para destituir as autoridades regionais da Frente de Libertação do Povo Tigré (TPLF).

No final de novembro, ele declarou vitória após tomar a capital regional, Mekele, mas os combates continuaram e em junho deste ano os rebeldes pró-TPLF haviam retomado a maior parte da região, incluindo Mekele.

Posteriormente, o governo federal declarou um cessar-fogo unilateral, mas a luta continuou.

Seis regiões da Etiópia, assim como a cidade de Dire Dawa, anunciaram recentemente o envio de tropas para apoiar o Exército federal.

Pelo menos 20 civis foram mortos e dezenas de milhares mais foram deslocados em combates intensos em Afar, segundo informou uma autoridade etíope na quinta-feira.

Um porta-voz dos rebeldes, Getachew Reda, afirmou que os rebeldes pretendem "libertar cada centímetro quadrado de Tigré", incluindo as terras disputadas no oeste e no sul, ocupadas desde o início da guerra pelos amhara, que as reivindicam.

Um blecaute dos serviços de telecomunicações em Tigré não permite verificar no terreno quais áreas são controladas pelos diversos atores do conflito.

Essa guerra já deixou milhares de mortos e centenas de milhares de deslocados, de acordo com as Nações Unidas.

rcb/mbx/md/pc/tjc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos