Região Metropolitana do Rio tem centésimo PM baleado, diz Instituto Fogo Cruzado

·2 minuto de leitura

Imagens de uma câmera de segurança, divulgadas pelo RJ TV, mostraram uma mulher correndo para se abrigar atrás de um carro durante um tiroteio, nesta quarta-feira, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Durante a troca de tiros, o PM Daniel Alexandrino de Oliveira foi atingido por disparos . Ele foi socorrido no Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu e morreu. Segundo o Instituto Fogo Cruzado, o militar é centésimo PM baleado na Região Metropolitana do Rio , desde o incio do ano.

O PM estava de férias e foi baleado por homens não identificados na esquina da Ruas Bahia e São Paulo, em um bairro de Mesquita, próximo da divisa do município com São João de Meriti. O balanço feito pelo Fogo Cruzado revela uma tendência de crescimento do impacto da violência armada sobre agentes de segurança. De acordo com o instituto, em 2020, a mesma marca foi atingida apenas no mês de novembro. O relatório também cita a ausência de um plano de segurança que possa ser acessado por interessados que queiram cobrar medidas para evitar novas vitimas entre os policiais. Segundo a estatística, incluindo outras categorias de agentes de segurança, como policiais civis, federais e penais, o número de baleados deste seguimento, entre janeiro e setembro deste ano, pula 128 vítimas.

Mesmo assim, levando em conta este total, os PMs são a maioria na lista com 78% entre os agentes de segurança baleados no período. Segundo o relatório, em 2021, operações policiais e ações de rotina foram as que mais impactaram os agentes. Foram 49 baleados, sendo 12 mortos e 37 feridos.
Tentativas e roubos efetivos fizeram 25 vítimas entre policiais militares, sendo que todos foram baleados fora do horário de trabalho.

As brigas também chamaram a atenção. Este ano, 5 policiais militares foram atingidos durante discussões. Em 2020, até a marca das 100 vítimas, as brigas não fizeram parte dos motivos que levaram agentes a serem baleados.

A Policia Militar foi procurada para se posicionar sobre o assunto e para confirmar o número de policiais mortos até agora, mas ainda não enviou uma resposta sobre o assunto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos