Região de Mianmar recupera conexão com a Internet após 19 meses

·1 minuto de leitura
Panelaço em Yangon em 3 de fevereiro de 2021

O corte de internet mais longo do planeta, que afetou mais de um milhão de pessoas por 19 meses em uma região de conflito étnico em Mianmar, foi restabelecido, anunciou uma operadora móvel local nesta quarta-feira (3).

A conexão nos estados de Chin e Rakáin (norte) foi suspensa em junho de 2019, após ordens "urgentes" do Ministério das Telecomunicações do governo civil de Aung San Suu Kyi.

Após o golpe militar na segunda-feira, a operadora de telefonia móvel Telenor Group disse que restaurou todos os seus serviços em oito cantões nos estados de Rakhine e Chin nesta quarta-feira.

"O Grupo Telenor e a Telenor Myanmar recomendaram a restauração dos benefícios e enfatizaram que a liberdade de expressão através do acesso aos serviços de telecomunicações deve ser respeitada por razões humanitárias", disse a empresa em nota nesta quarta-feira.

"Temos internet novamente. Portanto, também estamos cientes do golpe", disse Shouban, morador de Maungdaw, no estado de Rakhine, que, como muitos rohingyas, tem apenas um nome.

De acordo com a ONG Human Rights Watch, o corte da internet impediu que muitas pessoas se conscientizassem dos perigos da pandemia do coronavírus e das medidas de higiene adequadas para combatê-la.

O conflito no estado de Rakhine, cuja luta se estendeu ao estado vizinho de Chin, coloca o exército birmanês contra os rebeldes das forças Arakan, que exigem mais autonomia para a população budista.

bur-lpm/am/leg/mba/lpt/jvb/jz/mvv