Região russa na fronteira com Ucrânia teve 25 mortos desde início da ofensiva

Os bombardeios ucranianos sobre a região fronteiriça russa de Belgorod deixaram 25 mortos e quase 100 feridos desde o início da ofensiva de Moscou na Ucrânia, anunciou o governador regional ao presidente da Rússia, Vladimir Putin.

"A Ucrânia, o inimigo, bombardeia vilarejos pacíficos. Temos 25 pessoas mortas e 96 feridos", declarou Vyacheslav Gladkov durante uma conversa com Putin transmitida pela televisão.

É a primeira vez em 11 meses que as autoridades russas divulgam um balanço de vítimas de uma região de seu território.

O governador da região de Belgorod não especificou quantas vítimas eram civis ou militares.

Ao informar Putin, Gladkov especificou que as autoridades da região de Belgorod, um território próximo ao nordeste da Ucrânia, oferecem uma compensação financeira às famílias dos civis mortos e feridos "no mesmo nível" daquela recebida pelas famílias dos soldados mortos na Ucrânia.

"Desde o início da operação militar especial, decidimos que, em caso de lesão moderada ou grave, pagamos 500 mil rublos (US$ 7.200). Se acontecer o pior, quando alguém morre, então pagamos três milhões de rublos (US$ 43.200)", revelou.

Putin agradeceu Gladkov pelo "trabalho eficiente" de sua administração e pelas medidas tomadas para "estabilizar a situação" na região.

No final de novembro, o governador regional declarou que uma linha de fortificações estava sendo construída na fronteira, mas não especificou seu tamanho ou localização exata.

O presidente russo elogiou a qualidade dos mísseis de defesa antiaérea russos, que são "modernos e confiáveis". "Em geral, o sistema funciona corretamente", indicou.

Várias cidades e infraestruturas da região de Belgorod registraram ataques, às vezes mortais, que Moscou atribuiu ao exército ucraniano, o que não foi confirmado por Kiev. A capital regional homônima também foi atingida várias vezes.

bur/js-sag-jvb/mb/am/mvv