Região separatista ucraniana de Donetsk abre 'embaixada' em Moscou

A região separatista de Donetsk, no leste da Ucrânia, inaugurou uma "embaixada" em Moscou nesta terça-feira (12), e denunciou que a situação no terreno está se deteriorando.

A inauguração ocorreu em um bairro central da capital russa, mas sem a presença de altos funcionários russos.

"Nestes últimos dias, a situação piorou drasticamente", declarou Natalia Nikanorova, a "ministra das Relações Exteriores" da região separatista.

Diante das perguntas dos jornalistas sobre a intenção da região de se juntar à Rússia, Nikanorova respondeu: "Não temos pressa."

"O principal objetivo é libertar a república", assinalou, usando as palavras da Rússia quando se refere à conquista territorial da região.

"Depois, haverá um referendo e veremos qual é a vontade do povo", continuou, ao acrescentar que estava "disposta" a modificar o status da "embaixada" em tal caso.

O presidente russo, Vladimir Putin, reconheceu a independência das províncias de Luhansk e Donetsk dias antes de determinar a ofensiva na Ucrânia em 24 de fevereiro.

Ambas as províncias fazem parte da região do Donbass, parcialmente controlada pelos separatistas pró-Rússia desde 2014, e onde Moscou concentra, neste momento, sua ofensiva militar.

Nikanorova estava acompanhada pela "embaixadora" da região separatista de Donetsk, Olga Makeieva.

bur/sg/sag/eg/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos