Regime sírio libera canadense preso há oito meses

Kristian Lee Baxter (D) cumprimenda diretor-geral da Segurança do Líbano, Abbas Ibrahim, em Beirute em 9 de agosto de 2019

Um canadense que estava preso há oito meses pelo regime sírio foi libertado após uma mediação do Líbano e transferido para Beirute, anunciou nesta sexta-feira (9) a segurança geral libanesa.

Kristian Lee Baxter, de 44 anos, participou de uma coletiva de imprensa organizada em Beirute pela embaixada do Canadá e pela segurança geral, que entre outras questões, trata da imigração.

O canadense, visivelmente emocionado, agradeceu e começou a chorar. "Achei que ficaria ali para sempre. Sinceramente, não sabia se alguém sabia que eu estava vivo", explicou.

Em janeiro, o governo canadense confirmou a detenção de Baxter na Síria, país vizinho ao Líbano que está em guerra.

Baxter, nascido na província da Columbia Britânica, é um "aventureiro", segundo seus familiares.

Em dezembro, ele foi ao povoado sírio onde seu cunhado nasceu, controlado pelo regime sírio e localizado perto da fronteira libanesa. Desde então, não tinha dado sinal de vida, segundo a imprensa canadense.

Baxter foi preso "por motivos relacionados a uma violação das leis sírias", disse o diretor-geral da pasta libanesa, Abbas Ibrahim, durante a coletiva, sem dar mais detalhes.

"Nossos esforços permitiram reduzir a pena", acrescentou.

Ibrahim informou que o Estado libanês interveio neste caso a pedido da embaixada do Canadá.

Perguntada sobre o papel de Ottawa nesta liberação, a ministra canadense de Relações Exteriores, Chrystia Freeland, se negou a comentar um caso "privado".

"Estou contente e realmente aliviada", acrescentou, falando à imprensa em Calgary (oeste do Canadá). "Acho que este caso deve nos lembrar que é preciso ser prudente quando se viaja a países perigosos", disse.

O Canadá faz parte da coalizão internacional contra os extremistas liderada pelos Estados Unidos, e rompeu relações diplomáticas com a Síria em 2011, quando o conflito começou.

Diversos estrangeiros sequestrados na Síria continuam desaparecidos, entre eles o jornalista americano Austin Tice, sequestrado em agosto de 2012 por homens armados no sul de Damasco.