Silenciada, Regina Duarte não emite nota de pesar a Aldir e Migliaccio

Regina Duarte e Jair Bolsonaro durante a posse a secretária de Cultura (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Secretária Especial da Cultura há dois meses e com mais de 50 anos de carreira, Regina Duarte não se posicionou sobre as mortes de Flávio Migliaccio e Aldir Blanc, nesta segunda-feira (4).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

O cantor e compositor de clássicos da música brasileira como ‘O Bêbado e o Equilibrista’ morreu no Rio de Janeiro vítima do novo coronavírus, o mesmo que o presidente tanto rejeita as mortes. Já Flávio foi encontrado morto em seu sítio na zona rural do mesmo estado.

Leia também

Silenciada há algumas semanas pelos filhos do presidente Jair Bolsonaro e pela ala mais ideológica do Governo, fontes de veículos políticos dão conta que Regina está sendo queimada para abandonar o Governo o quanto antes, ela não emitiu uma nota pública de pesar às mortes.

Segundo informações da assessoria da secretária, ela enviou suas condolências pessoalmente à família do compositor, mas não o fez como Governo. Segundo a Revista ‘Veja’ ela já teve essa atitude em outras mortes relevantes para a cultura que aconteceram nestes últimos meses.

Yahoo! questionou à secretaria se haveria uma nota pública da secretaria sobre o falecimento do ator. Eles trabalharam juntos em novelas como ‘Rainha da Sucata’, de 1990. Filha de Regina, Gabriela Duarte se solidarizou e homenageou o ator. “Fizemos Sete Pecados e Passione juntos. Ele tinha um sorrisinho no canto da boca que eu nunca vou esquecer. A gente se entendia! Obrigada Flavio Migliaccio”", declarou ela.