Regras do jogo eleitoral são conhecidas por todos e devem ser respeitadas, diz Fachin

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Na última sessão antes do recesso de julho, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Edson Fachin , enalteceu o trabalho do tribunal em dar transparência ao processo eleitoral e afirmou que "as regras do jogo eleitoral são conhecidas por todos e devem ser respeitadas". O sistema eleitoral brasileiro vem sendo alvo de constantes ataques por parte do presidente Jair Bolsoanro (PL).

STF: Fux marca para agosto julgamento de ações contra lei de improbidade e trabalho intermitente

Eleições: PT prevê Auxílio Brasil de R$ 600 como definitivo, quer retorno do nome Bolsa Família, mas ainda não divulga 'âncora fiscal'

— As diferenças de compreensão estão permeadas no tecido republicano que vivenciamos, contudo, é no reconhecimento mútuo das distintas dimensões e alcances do entendimento dos interlocutores que se pavimenta o caminho para a solução dessas distensões, sempre informadas pelo respeito absoluto pela Constituição Federal, pela forma Republicana de Governo adotada no Brasil, e pelo trato cordial, respeitoso e honesto entre os atores institucionais —, afirmou Fachin.

De acordo com o presidente do TSE, que deixa o cargo em agosto, quando passa a função para o ministro Alexandre de Moraes, a Corte tem se dedicado a demonstrar a transparência em todas as etapas de sua atuação, especialmente no papel de administrador das eleições e a confiabilidade de todo o aparato nacional para a realização do certame eleitoral.

Congresso: Em nova estratégia, senadores governistas tentam adiar instalação da CPI do MEC para depois das eleições

Veja também: MPF arquiva acusação de falso testemunho contra Fábio Wajngarten por depoimento à CPI da Covid

— Reforçando que as urnas eletrônicas são seguras, são confiáveis, que foram aprovadas no recente Teste Público de Segurança e não há qualquer indicação segura de que não protegem o sigilo e a veracidade do voto de todos os brasileiros — , explicou.

Disse ainda Fachin:

— Nossa certeza de que o sistema eleitoral brasileiro é hígido, confiável e seguro transborda os limites da Instituição e nos permite transferir essa inabalável certeza a todos os nossos compatriotas, a todos os cidadãos brasileiros. O seu voto está protegido e será contabilizado nas eleições — , ressaltou.

Fachin também disse que o TSE está aberto aos métodos de auditoria previstos e fraqueados pela Corte, e criticou o uso do instrumento como forma de "rejeitar aprioristicamente" o resultado das urnas "que porventura retrate que a vontade do povo brasileiro é oposta a interesses pessoais de um ou de outro candidato".

— Ter eleições é o cerne do estado democrático, ter eleições é a obrigação de periodicamente ouvir cidadãs e cidadãos na escolha de seus representantes e governantes. Não é, em hipótese alguma, atividade cuja validade se condiciona a produção de um resultado que confirme a vontade isolada de um ou de outro ator político — , reforçou.

Ao longo do último ano, as urnas eletrônicas vêm sendo um cavalo de batalha travado entre o governo Jair Bolsonaro e o TSE. Nos últimos meses, o Ministério da Defesa tem protagonizado uma troca de ofícios com a Corte, em razão de uma série de propostas feitas pelas Forças Armadas no âmbito da Comissão de Transparência Eleitoral, boa parte delas acolhidas pelo tribunal.

Após o pronunciamento de Fachin, o subprocurador-geral da República Humberto Jacques de Medeiros, que participou da sessão como vice-procurador-geral Eleitoral substituto, reforçou a confiança do Ministério Público nas eleições.

— Dou o meu testemunho da absoluta lisura, da correção, da estrutural confiança que nosso processo eleitoral merece —, afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos