Regulador de privacidade irlandês multa Facebook em 265 mi de euros

.

Por Padraic Halpin

DUBLIN (Reuters) - O regulador de privacidade de dados da Irlanda impôs uma multa de 265 milhões de euros ao Facebook nesta segunda-feira, elevando o valor de penalidades determinadas pelo órgão contra a Meta, controladora da rede social, para quase 1 bilhão de euros.

A penalidade resultou de uma investigação, iniciada no ano passado, sobre a descoberta de um conjunto de dados pessoais coletados pelo Facebook entre maio de 2018 e setembro de 2019 e disponibilizados online.

O Facebook também foi obrigado a tomar uma série de medidas corretivas.

A Meta disse que cooperou totalmente com a investigação do Comissário de Privacidade de Dados da Irlanda (DPC) e fez alterações em seus sistemas durante o período em questão.

A multa desta segunda-feira é a quarta aplicada pela DPC contra as empresas da Meta, que acumula mais 13 investigações pendentes.

Em setembro, o órgão fiscalizador penalizou o Instagram com uma multa recorde de 405 milhões de euros, contra a qual a Meta planeja apelar. A companhia acrescentou em comunicado nesta segunda-feira que estava revisando a decisão relacionada ao Facebook.

Atualmente, o DPC tem 40 inquéritos abertos sobre as gigantes de mídia social, incluindo os 13 envolvendo a Meta.

O regulador tem o poder de impor multas de até 4% da receita global de uma empresa sob regras da União Europeia.

O DPC disse que os fatores atenuantes na decisão desta segunda-feira - que foi aprovada por todos os outros reguladores relevantes da União Europeia - incluem as ações tomadas pelo Facebook.

"Continuaremos até que o comportamento mude", disse a comissária de privacidade de dados da Irlanda, Helen Dixon, à emissora nacional irlandesa RTE nesta segunda-feira.