Regulador de saúde chileno aprova uso emergencial de vacina da AstraZeneca contra Covid-19

Aislinn Laing e Natalia A. Ramos Miranda
·1 minuto de leitura
Seringa e frasco em frente ao logo da AstraZeneca em foto de ilustração

Por Aislinn Laing e Natalia A. Ramos Miranda

SANTIAGO (Reuters) - O regulador de saúde do Chile aprovou nesta quarta-feira a vacina da AstraZeneca-Oxford contra Covid-19 para uso emergencial por uma votação unânime de seu conselho consultivo.

A aprovação do Instituto Saúde Pública (ISP) do Chile é para o uso de 6,6 milhões de doses como parte de um regime de duas doses para chilenos com mais de 18 anos e sem limite máximo de idade.

O vice-ministro do Comércio do Chile, Rodrigo Yañez, encarregado dos acordos de fornecimento de vacinas, disse que 4 milhões de doses compradas diretamente da empresa começarão a chegar no final de março e serão administradas até junho.

Ele afirmou que mais 2,6 milhões de doses da AstraZeneca compradas por meio do programa de aliança de vacinas Covax também devem chegar em março.

Heriberto Garcia, diretor do Instituto Saúde Pública, disse que a aprovação do imunizante da AZ - que também passa por testes em estágio avançado no Chile - ocorre além das vacinas desenvolvidas pela Pfizer/BioNtech e Sinovac.

"Essa ação reforça um plano de vacinação contra Covid-19 que tem como objetivo proteger a população e prevenir casos graves da doença", afirmou.

A vacina da AstraZeneca foi previamente aprovada por reguladores internacionais como Reino Unido, África do Sul e Argentina.

O Chile começou a vacinar os profissionais de saúde da linha de frente na véspera de Natal com doses da Pfizer/BioNtech.