Rei belga condecora último veterano congolês da Segunda Guerra Mundial

O rei Philippe de Bélgica condecorou nesta quarta-feira (8) o último veterano congolês da Segunda Guerra Mundial vivo, durante uma histórica visita à República Democrática do Congo.

O soberano belga chegou nesta terça-feira (8) em Kinshasa, a capital da RDC, para uma visita de seis dias anunciada como uma oportunidade para a reconciliação entre o país centro-africano e sua ex-potência colonial.

Depois de visitar nesta quarta-feira um monumento aos veteranos, Philippe da Bélgica condecorou o cabo Albert Kunyuku, de 100 anos, que se alistou na força colonial belga em 1940 e prestou serviço em Mianmar.

Kunyuku, o último veterano congolês sobrevivente da Segunda Guerra Mundial, e o rei apertaram as mãos durante longos segundos.

A colonização belga do Congo foi uma das mais rígidas imposta pelas potências europeias que governaram a maior parte da África no final do século XIX e XX.

O rei Leopoldo II, irmão do tataravô de Philippe, supervisionou a conquista do que hoje é a RDC, governando o território como sua propriedade pessoal entre 1885 e 1908, antes que se tornasse uma colônia belga.

Segundo os historiadores, milhões de pessoas foram mortas, mutiladas ou morreram de doenças ao serem forçadas a coletar borracha sob seu domínio. A terra também foi saqueada por sua riqueza mineral, madeira e marfim.

Em 2020, Philipp escreveu uma carta ao presidente congolês Félix Tshisekedi para expressar seu "mais profundo arrependimento" pelas "feridas do passado".

A visita é a primeira do rei Philipp à RDC desde sua ascensão ao trono em 2013. Seu pai, o rei Alberto II, visitou o país em 2010.

bmb-mbb-eml/ri/meb/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos