Rei Charles discursa ao Parlamento e segue para cerimônia em homenagem à rainha na Escócia

Rei Charles em Westminster

Por Michael Holden e Andrew MacAskill

EDIMBURGO (Reuters) - O rei Charles chamou o Parlamento britânico de "instrumento vivo e respiratório de nossa democracia" e prometeu seguir o exemplo de sua falecida mãe, a rainha Elizabeth, em manter sua independência em um discurso para ambas as câmaras nesta segunda-feira.

Charles chegou ao Westminster Hall em Londres com sua esposa Camilla, rainha consorte, para o discurso, parte de uma série de cerimônias após a morte da rainha na quinta-feira em sua casa em Balmoral, Escócia, após 70 anos no trono.

Após o discurso, o novo monarca partiu para Edimburgo para se juntar a seus irmãos para uma procissão solene quando o caixão da rainha Elizabeth é levado para a catedral histórica da cidade.

Em seguida, eles participarão de uma vigília na Catedral de St. Giles, na centenária Royal Mile da capital escocesa, onde o caixão ficará antes de ser levado para Londres na terça-feira.

A primeira-ministra Liz Truss, ainda em sua primeira semana no cargo, e parlamentares da Câmara dos Comuns e da Câmara dos Lordes, compareceram ao discurso no Westminster Hall.

No pronunciamento, Charles disse: "Quando muito jovem, sua Majestade prometeu servir seu país e seu povo e manter os preciosos princípios do governo constitucional que estão no coração de nossa nação. Esta promessa ela manteve com devoção insuperável."

Charles, de 73 anos, que automaticamente se tornou rei do Reino Unido e 14 outros reinos, incluindo Austrália, Canadá, Jamaica, Nova Zelândia e Papua Nova Guiné após a morte de sua mãe, é conhecido por expressar suas opiniões sobre assuntos que vão desde o meio ambiente até questões da juventude.

Ele sugeriu que, como rei, deve moderar seu estilo, de acordo com a tradição que o monarca mantém fora dos assuntos políticos.

Charles também visitará o parlamento escocês e se encontrará com a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon.

Na terça-feira, o caixão será levado para Londres, onde na quarta-feira começará um período de homenagens até 19 de setembro, o dia do funeral de Estado de Elizabeth, em um catafalco no Westminster Hall.

Os membros do público poderão passar pelo caixão, que será coberto pelo Royal Standard com o orbe e o cetro do soberano colocados no topo, por 24 horas por dia até 6h30 de 19 de setembro no horário local.

(Reportagem de Michael Holden em Londres e Andrew MacAskill em Edimburgo; Reportagem adicional de Kate Holton, Muvija M, Will Russell e William James)