Rei Momo do Rio em 2005, jornalista e ativista morre de Covid-19

·1 minuto de leitura

RIO — Morreu neste sábado (11), em decorrência de complicações causadas pela Covid-19, o jornalista e ativista Marcelo de Jesus Reis. Candomblecista, ele foi defensor das causas de igualdade racial e grande entusiasta do carnaval, chegando a ser Rei Momo da Rio em 2005.

Marcelo era descrito pelos amigos como uma pessoa muito alegre e extrovertida. Participava ativamente da rotina do Renascença Clube, onde era querido por todos.

— O Marcelo sempre foi muito ligado ao clube porque ele tem um histórico de engajamento com a causa negra. Ele era cerimonialista de muitos eventos nossos. Um cara que estava dentro do clube, sempre participativo, sempre querendo ajudar, sempre muito presente. Uma pessoa que vai deixar uma lacuna enorme para todo mundo. A família Renascença está muito triste — diz o presidente do clube, Alexandre Xavier.

Em postagem do Renascença nas redes, Marcelo foi descrito como "amante da soul music, salgueirense e militante ardoroso". Nos comentários da publicação, muitos amigos lamentaram a perda do jornalista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos