Reino Unido confirma funeral da rainha Elizabeth 2ª para dia 19; veja programação

LONDRES, INGLATERRA (FOLHAPRESS) - A monarquia britânica confirmou neste sábado (10) que o funeral da rainha Elizabeth 2ª vai ocorrer no próximo dia 19, uma segunda-feira, na manhã de Londres —a partir de 7h, no horário de Brasília. A data foi declarada feriado no Reino Unido.

Neste domingo (11), o corpo da soberana deixa o Castelo de Balmoral, na Escócia, às 10h no horário local (6h em Brasília), com destino a Edimburgo. Na capital escocesa ele ficará no Palácio de Holyrood, residência oficial da família real, e depois será levado de avião para Londres na terça (13).

A partir de quarta-feira (14), o caixão de carvalho estará exposto para visita pública durante cinco dias, no palácio de Westminster, sede do Parlamento britânico, onde fica o famoso relógio Big Ben.

Na manhã do dia 19, ele será levado à Abadia de Westminster para o funeral, que será televisionado. Dois minutos de silêncio em todo o Reino Unido serão decretados. Em seguida, Elizabeth 2ª será enterrada no Castelo de Windsor, a oeste de Londres.

Esses planos existem há anos e eram (pouco) conhecidos como operação London Brige (ponte de Londres). O programa lista e orienta todos os procedimentos a serem cumpridos após a morte da rainha. Há versões dele com o Palácio de Buckingham, com o governo e mesmo com a rede pública de TV e rádio BBC.

O momento de informar o chefe de governo do Reino Unido a respeito da morte, por exemplo, era detalhado: a primeira-ministra deve ser acordada, se já não o estiver, e funcionários diriam, pelo telefone e em uma linha segura, a frase "A ponte de Londres caiu". A notícia seria então enviada para as 56 nações da Commonwealth (países de alguma forma ligadas ao império britânico) para então ser feito o anúncio público, o que aconteceu às 18h30 de quinta (8), pelo horário local.

A operação previa situações como a morte da rainha em outros países, o que quase imediatamente faria com que um avião da RAF (Força Aérea Real) levantasse voo em Londres com um caixão a bordo. Os agentes funerários reais, representados por Leverton & Sons, inclusive mantinham um caixão de carvalho sempre pronto em suas instalações para a eventualidade.

Mas os planos mais elaborados nesse sentido diziam respeito justamente à casualidade da morte no Castelo Balmoral, onde a rainha costumava passar três dos doze meses do ano. Essa parte do plano até ganhou nome próprio, a Operação Unicórnio. O caixão sairá de Balmoral e seguirá em carro fúnebre até a capital escocesa, Edimburgo. No caminho, passará por cidades como Aberdeen, Dundee e Perth, onde milhares de pessoas estarão a postos para dar o seu adeus.

Em Edimburgo, neste domingo, o corpo será recebido no palácio de Holyrood. Na segunda, será levado à catedral, onde os escoceses poderão fazer fila para ver a rainha. Nos últimos anos, várias partes da operação foram alteradas. Previa-se por exemplo, que o caixão seguiria para Londres no trem real, pela costa leste de Escócia e Inglaterra. Mas será um um avião que deve transportá-lo para Londres na terça.

As autoridades que explanaram os protocolos dos próximos dias disseram que cumprirão suas funções "com o coração mais pesado do que nunca, mas com a firmeza necessária para garantir uma despedida à altura de uma das figuras definidoras do nosso tempo".

Símbolo da monarquia, Elizabeth 2ª ocupou o trono por sete décadas e faleceu serenamente, segundo o comunicado oficial, na quinta. A morte deu início a uma série de protocolos e cerimônias oficiais, no Reino Unido e em Estados associados a ele. Na manhã deste sábado, Charles 3º, 73, foi proclamado rei em cerimônia no palácio de Saint James, em Londres.

*

VEJA CERIMÔNIAS DOS PRÓXIMOS DIAS

- DOMINGO (11)

6h (de Brasília): O caixão com o corpo da rainha Elizabeth 2ª será transportado do Castelo de Balmoral, na Escócia, para Edimburgo, a capital do país. A viagem, de carro, deve durar aproximadamente seis horas. Lá, o caixão será levado ao Palácio de Holyrood, residência oficial da família real.

- SEGUNDA-FEIRA (12)

O corpo da rainha será levado em procissão até à Catedral de St Giles, também em Edimburgo. Haverá uma cerimônia no local, e o caixão deve ficar exposto ao público durante 24 horas.

- TERÇA-FEIRA (13)

a partir das 13h (de Brasília): Um carro funerário levará o caixão ao aeroporto de Edimburgo. De lá, será transportado em um voo de 55 minutos para Londres. Guardas de honra saudarão a partida da Escócia e a chegada à Inglaterra.

Na capital inglesa, o corpo da rainha será levado ao Palácio de Buckingham, onde haverá orações com a presença de membros da família real.

- QUARTA-FEIRA (14)

A Coroa Imperial do Estado, um dos maiores símbolos da monarquia britânica, e uma coroa de flores serão colocadas sobre o caixão.

10h22 (de Brasília): Uma procissão com membros da família real levará o caixão do Palácio de Buckingham ao Palácio de Westminster, sede do Parlamento.

11h (de Brasília): O caixão deve chegar a Westminster, onde será recebido pelo arcebispo de Canterbury, Justin Welby. O local será aberto ao público para visita durante cinco dias, mas não se sabem detalhes de quando isso começa.

- SEGUNDA (19)

O caixão com o corpo da rainha será transportado do Palácio de Westminster até a abadia, onde acontecerá o funeral. O trajeto a pé será acompanhado por membros da família real. Após o serviço, a rainha será enterrada no Castelo de Windsor, a oeste de Londres.