Reino Unido convoca embaixador da China por tratamento a jornalista da BBC

Protesto em Xangai

Por William James e Farouq Suleiman

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido convocou o embaixador da China nesta terça-feira para discutir o tratamento dado a um jornalista britânico cujo empregador, a BBC, disse ter sido agredido pela polícia chinesa enquanto cobria um protesto em Xangai.

O incidente aprofundou a tensão diplomática de longa data entre Reino Unido e China sobre uma série de questões, incluindo direitos humanos, abordagem da China a Taiwan, leis de segurança em Hong Kong e políticas econômicas chinesas.

No domingo, a BBC disse que seu jornalista Ed Lawrence foi espancado, preso e algemado enquanto cobria protestos contra medidas de restrições da Covid-19. O Ministério das Relações Exteriores da China contestou o relato.

Falando em sua chegada a uma reunião de ministros das Relações Exteriores da Otan em Bucareste, o chanceler britânico, James Cleverly, disse que havia instruído que o enviado chinês fosse convocado sobre o incidente.

"É extremamente importante protegermos a liberdade da mídia. É algo que está no cerne do sistema de crenças do Reino Unido, e é extremamente importante que os jornalistas possam cuidar de seus negócios sem serem molestados e sem medo de ataques", disse ele.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro Rishi Sunak criticou a abordagem chinesa aos protestos, dizendo que, em vez de ouvir seu povo, o governo optou por reprimir ainda mais.

Isso gerou uma resposta da embaixada da China em Londres. Nesta terça-feira, publicou uma declaração em seu site atribuída a um porta-voz da embaixada: "O lado do Reino Unido não está em posição de julgar a política de Covid da China ou outros assuntos internos".