Promotoria venezuelana pede liberdade para americano detido em Caracas

Caracas, 15 jul (EFE).- A Promotoria da Venezuela pediu neste sábado que o cidadão americano Jhosua Anthony Holt e sua esposa Thamara Calicinos, de nacionalidade venezuelana, sejam libertados e julgados em liberdade.

Ele foram detidos no dia 30 de junho de 2016 em uma operação policial em Caracas pela sua suposta posse de várias armas de fogo.

Holt, um jovem missionário mórmon de Utah que tinha viajado para a Venezuela para se casar com sua noiva, foi detido junto com ela duas semanas após o casamento, e o então ministro de Interior, Gustavo González López, disse na televisão que na operação policial tinham sido encontrados fuzis e munição, uma granada e mapas detalhados de Caracas.

As autoridades relacionaram no momento certo a detenção de Holt com uma operação contra um grupo paramilitar que tinha assassinado o político chavista Omar Jesús Molina Marín, e asseguraram que havia provas de que o americano trabalhou com grupos criminosos para atacar o Governo do presidente Nicolás Maduro.

O casal está recluso na sede do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional, onde estão também presos alguns políticos opositores e ativistas antigovernamentais. EFE