Reino Unido descarta volta de público aos estádios em outubro; decisão deve seguir por mais seis meses

LANCE!
·1 minuto de leitura


O Reino Unido tinha planos de fazer com que os torcedores voltassem aos estádios após o dia 1 de outubro, mas a medida foi cancelada após um aumento recente nos casos de Covid-19 na região. A decisão foi anunciada pelo primeiro-ministro Boris Johnson nesta terça (22) e afeta competições de alto nível, como o Campeonato Inglês.

- Temos que levar em conta que a transmissão do vírus está afetando nossa capacidade de reabrir grandes eventos esportivos. Não é possível fazer isso no dia 1 de outubro, e eu reconheço as implicações disso em nossos clubes, que são a vida e alma das nossas comunidades - disse Boris, em pronunciamento.

O estado de alerta do Reino Unido em relação ao coronavírus subiu para o nível 4 - o que significa que a taxa de contágio está alta ou aumentando exponencialmente.

A decisão afeta as competições de futebol no país. Boris Johnson também afirmou que as competições não devem voltar a receber público nos próximos seis meses, e eventos-teste em outras modalidades, que receberiam até 1,000 pessoas, voltarão a ter portões fechados.

Duzentos milhões de libras (o equivalente a R$ 1,39 bilhão) já foram destinados para que o esporte possa se manter no Reino Unido, mas acredita-se que é necessária uma quantia mais elevada.

Os principais afetados pela ausência de público são os clubes de divisões inferiores, que têm nas receitas de bilheteria uma parte importante da renda.