Reino Unido fechará todas as escolas do país para conter avanço do coronavírus

LONDRES — O premier britânico, Boris Jhonson, anunciou nesta quarta-feira novas medidas para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus no país, com o fechamento total de escolas a partir desta sexta-feira e a realização de 25 mil testes diárias para a doença.

Um estudo crucial que previu meio mihão de mortos no país ajudou a convencer o governo britânico da necessidade de impor medidas mais rigorosas. Além das centenas de milhares de casos, o relatório projetou um serviço de saúde sobrecarregado por pacientes muito graves. De acordo com o estudo do Imperial College de Londres, publicado na noite de segunda-feira, o número de vítimas fatais poderia passar de 500 mil — na ausência total de medidas. Johnson havia sido duramente criticado por sua estratégia diante da pandemia, que era de adiar a imposição de medidas estritas tomadas em outros países europeus.

Na segunda-feira, o premier pediu à população que evite qualquer “contato não essencial” e as “viagens desnecessárias”, trabalhando de casa e não frequentando bares, restaurantes, teatros e outros eventos sociais. Boris Johnson ainda pediu para que todas as famílias que tenham um membro com febre ou tosse adotem o confinamento em suas casas, sem sair “nem para fazer compras” se possível.

O governo admitiu finalmente ser “razoável” estimar o número de infectados em 55 mil e que um balanço final da epidemia com 20 mil mortes ou menos seria “um bom resultado”. Oficialmente, o número de casos no Reino Unido é de 1.950, apesar de, até agora, o governo não realizar testes sistemáticos e reconhecer que o número de infectados é muito maior. Até agora, a epidemia deixou 55 mortos.

Na terça, as ruas de Londres estavam parcialmente desertas e apenas alguns pais levaram seus filhos às escolas, que ainda não foram fechadas. Muitas empresas começaram a adotar o sistema de trabalho em home office, enquanto museus e teatros anunciaram seu fechamento. Até o metrô da capital, normalmente lotado, parecia vazio no horário de pico.