Reino Unido projeta que metade dos adultos estarão vacinados no fim desta semana

O Globo e agências internacionais
·2 minuto de leitura

LONDRES - O ministro britânico do Comércio, Kwasi Kwarteng, afirmou nesta quarta-feira que mais da metade da população adulta do Reino Unido receberá a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19 até o fim da semana. Isso mostra, segundo ele, que o ritmo do programa de munização do país vai bem.

— Eu acredito que até o fim desta semana 50% da população adulta britânica terá sido vacinada. Se as pessoas receberem a ligação [do NHS, o Serviço Nacional de Saúde], elas devem tomar a vacina — afirmou à BBC TV.

A campanha de vacinação no Reino Unido tem superado as expectativas. Até o momento, mais de 25 milhões de pessoas, no país de 66 milhões de habitantes, foram vacinadas com a primeira dose da vacina. No atual ritmo, espera-se que a população inteira seja imunizada até o fim de junho. Se for considerado um ritmo 20% mais lento, os cidadãos britânicos estarão vacinados por completo até 31 de julho.

O Reino Unido conta com as vacinas da AstraZeneca, da Pfizer e da Moderna já aprovadas pelo órgão regulador e que somam cerca de 160 milhões de doses. Além delas, outros quatro imunizantes já foram negociados pelo governo, o que eleva o número de doses para 400 milhões. Com isso, o Reino Unido tem sobra de vacinas.

Segundo dados oficiais, o número de mortes de pacientes com 28 dias de testagem positiva para o novo coronavírus está em queda de 32%. Além disso, nos últimos sete dias o Reino Unido realizou cerca de nove milhões de testes em sua população, com intuito de manter o controle dos infectados ativo. Esse controle também inclui buscas por infectados com novas variantes do vírus, principalmente a brasileira.

Mesmo com a vacinação em bom funcionamento e o número de imunizados crescente a cada dia, o Reino Unido organizou um plano cauteloso e escalonado de saída da quarentena estrita, que estava em vigor desde o final de dezembro. A primeira parte da proposta, que tem quatro estágios, começou em 8 de março, com o retorno gradual das aulas presenciais nas escolas, principalmente na Inglaterra.

No dia 29 de março, a expectativa é da liberação de atividades ao ar livre, o que encerraria o primeiro estágio de flexibilização. Até 21 de junho, dia do último estágio do plano, quando grandes eventos estariam liberados, a ideia é que reuniões de até 30 pessoas ao ar livre já possam ocorrer.

Ao todo o plano de flexibilização tem intervalos de cinco semanas entre as etapas — as quatro primeiras para avaliar o impacto das mudanças nas restrições e mais uma semana para avisar o público e as empresas para se prepararem para a próxima fase. No anúncio do plano de flexibilização, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, defendeu o equilíbrio entre a vacinação e a saída das restrições.