Reino Unido quer congelar investimentos na BBC e vai avaliar futuro de licenciamento

·1 min de leitura
Secretária Nadine Dorries

LONDRES (Reuters) - O governo do Reino Unido anunciou nesta segunda-feira que irá congelar os investimentos na BBC por dois anos e irá começar um debate sobre se a taxa de licenciamento universal deve continuar na era moderna da televisão, atraindo críticas da oposição de que estaria cometendo "vandalismo cultural".

A secretária de Cultura, Nadine Dorries, disse ao Parlamento, que a corporação, que está no coração da vida cultural britânica, precisa se tornar uma organização mais simples e mais enxuta, em um momento em que o povo britânico enfrenta altas nos impostos e nos custos de energia.

Dorries disse que o imposto sobre todos os domicílios proprietários de televisores, que financia a rede pública britânica, será congelado em 159 libras por ano até 2024, antes que possa ser corrigido em relação à inflação pelos próximos quatro anos.

Dorries disse que o novo acordo de licenciamento dará à BBC cerca de 3,7 bilhões de libras. Entretanto, analistas dizem que um orçamento abaixo da inflação forçará a empresa a cortar serviços.

A BBC, conhecida pelos programas de história natural apresentados por David Attenborough e por programas de entretenimento como "Strictly Come Dancing", entrou em conflito nos últimos anos com o governo do primeiro-ministro Boris Johnson, com alguns ministros acusando a emissora de não providenciar notícias imparciais.

Lucy Powell, porta-voz do partido de oposição Trabalhista para cultura, disse ao parlamento que o congelamento era uma ataque a uma das maiores instituições da vida pública britânica, e acusou Dorries de cometer "vandalismo cultural".

(Reportagem de Kylie MacLellan e Paul Sandle)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos